11 2155-9358
Institucional Blog Pesquisas CEP FJLES Cursos
Data inicial
Estágio Hospitais Boletins Releases Parcerias
Ícone Data Final
Busca rápida
Busca avançada
Institucional Voluntariado Parcerias Releases Boletins
Data inicial
Núcleos Cursos Estágios Hospitais Blog
Ícone Data final
Busca rápida
Busca avançada
Health problem. Closeup young woman scratching her itchy back with allergy rash

Desde que era estudante de medicina no final da década de 70 ouço de pais e pacientes que têm alergia à penicilina, pois uma vez, quando tomou a medicação ou um de seus derivados, teve uma “alergia”.

A penicilina é a causa de alergia a medicamentos mais comumente relatada em departamentos de emergência pediátrica, afetando a frequência com que os médicos prescrevem o antibiótico de primeira linha efetivo e barato. Um estudo bem interessante publicado na revista Pediatrics de agosto de 2017, no entanto, concluiu que muitas crianças com suspeita de alergia à penicilina não são realmente alérgicas ao medicamento.

Para o estudo, “Testes de alergia em crianças com sintomas de alergia à penicilina de baixo risco”, foram entrevistados os pais de quase 600 crianças entre as idades de 4 e 18 anos que foram a um serviço de emergência pediátrico americano para responder a um questionário de alergia.

Com base em sintomas relatados pelos pais, como prurido e erupção cutânea, que foram confirmados pelo provedor médico da criança, 100 crianças foram categorizadas como de baixo risco para alergia à penicilina e foram testadas. Todas as 100 crianças foram consideradas negativas para a alergia e foram retiradas sua alergia à penicilina mencionadas em seus prontuários médicos.

Os pesquisadores disseram que sintomas como erupções cutâneas podem ser causados ​​por infecção bacteriana ou viral, mas, muitas vezes, são mal interpretados como alergia quando os pacientes são tratados com penicilina. Como resultado, as crianças são submetidas a antibióticos de amplo espectro que podem ter mais efeitos colaterais, podem ser menos eficazes e podem contribuir para o aumento das infecções resistentes aos antibióticos.

Há muitos anos no Brasil também se usava pingar uma dose diluída de penicilina benzatina no olho da criança para ver se ficava vermelho e outros testes sem sentido. Felizmente isso deixou de ser feito, pois o famoso “benzetacil” não pode mais ser dado em farmácias.

Esse estudo foi financiado em parte pela Academia Americana de Pediatria, Seção de Medicina de Emergência Ken Graff Award.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics July 2017

Allergy Testing in Children With Low-Risk Penicillin Allergy Symptoms

David Vyles, Juan Adams, Asriani Chiu, Pippa Simpson, Mark Nimmer, David C. Brousseau

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Avatar
Dr. José Luiz Setúbal
Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

Postagens Relacionadas