11 2155-9358
Institucional Voluntariado Parcerias Releases Boletins
Data inicial
Núcleos Cursos Estágios Hospitais Blog
Data final
Busca rápida
Busca avançada
Batimentos cardíacos: como saber se estão normais?

Muitos pais reclamam que o coração de seus filhos bate muito rápido ou não tem um ritmo certo

Estas são duas observações muito ouvidas nos consultórios pediátricos, então vamos falar da frequência e do ritmo cardíaco, que como tudo que se refere ao coração, preocupa muito as pessoas.

A frequência cardíaca das crianças varia de acordo com alguns fatores (que faz qualquer coração bater mais rápido):

– Febre;
– Choro;
– Exercício ou outra atividade vigorosa;
– Quanto mais nova a criança, mais rápido o ritmo cardíaco.

Como a criança cresce, a frequência cardíaca vai diminuir. Em recém-nascidos, de 130 a 150 batidas por minuto, são consideradas normais, quando eles estão em repouso. Mas, para uma criança de 6 anos, o ritmo é tido como muito rápido. Em um adolescente atlético, a frequência normal é de 50 a 60 batimentos por minuto.

O ritmo ou batida regular do coração é mantido por um pequeno “circuito elétrico”, que corre por meio dos nervos das paredes do coração. Quando ele funciona corretamente, o batimento cardíaco é regular, mas se existir algum problema nele, haverá um ritmo irregular ou arritmia.

Alguns pequenos nascem com anormalidades neste circuito cardíaco, mas as arritmias podem ser causadas por infecções ou desequilíbrios químicos no sangue. Mesmo em crianças saudáveis, pode haver outras variações no ritmo dos batimentos, incluindo mudanças que ocorrem como resultado da respiração. Tal flutuação é chamada arritmia sinusal, e não requer nenhuma avaliação ou tratamento especial, pois é normal.

Os chamados batimentos cardíacos prematuros são outra forma de ritmo irregular que não requer nenhum tratamento. Se esses ocorrem em seu filho, significa que o coração “pulou uma batida” ou fez um “flip-flop.” Normalmente, esses sintomas não indicam a presença de doença cardíaca significativa.

Existem alguns tipos de arritmias verdadeiras:

1- O coração bate mais rápido do que o normal (taquicardia);
2- Muito rápido (flutter);
3- Rápido e sem regularidade (fibrilação);
4- Mais lento do que os normais (bradicardia).

Enquanto as arritmias verdadeiras não são muito comuns na infância, quando ocorrem, podem ser sérias. Em raras ocasiões, elas podem causar desmaios ou mesmo insuficiência cardíaca. Felizmente, podem ser tratadas com sucesso, por isso é importante detectá-las o mais cedo possível.

Se seu filho tem uma arritmia verdadeira, o pediatra provavelmente vai descobrir durante uma visita de rotina. Mas você pode notar algum dos seguintes sinais de alerta:

– Seu bebê, de repente, torna-se pálido, apático e corpo dele fica mole;
– A criança reclama de que seu “coração está batendo rápido,” quando ela não está em atividades;
– O pequeno diz que se sente desconfortável, fraco ou com tonturas;
– Ele desmaia várias vezes.

É improvável que seu filho nunca vai sentir algum desses sintomas, mas se ele tiver, o pediatra irá realizar testes adicionais e talvez consultar com um cardiologista pediátrico. No processo, os médicos podem fazer um eletrocardiograma para melhor distinguir uma arritmia sinusal normal, a partir de uma arritmia verdade.

Quando seu filho tiver idade suficiente para participar de atividades esportivas, pergunte ao seu pediatra se houver provas especiais ou restrições necessárias.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte:Caring for Your Baby and Young Child: Birth to Age 5” (Copyright © 2009 American Academy of Pediatrics)

Instituto Pensi
O Instituto Pensi é o braço de ensino, pesquisa e projetos sociais da Fundação José Luiz Egydio Setúbal enquanto o Hospital Infantil Sabará é seu braço de assistência médica.

Postagens Relacionadas

Intoxicação alimentar

mega millions Na época do verão e de muitas viagens […]

Consequências de não vacinar as crianças

Estudo aponta alguns fatores negativos sobre a ausência de uma […]

Assentos de carro e as medidas de segurança

Saiba os cinco erros mais comuns cometidos pelos pais e […]