11 2155-9358
Institucional Blog Pesquisas CEP FJLES Cursos
Data inicial
Estágio Hospitais Boletins Releases Parcerias
Ícone Data Final
Busca rápida
Busca avançada
Institucional Voluntariado Parcerias Releases Boletins
Data inicial
Núcleos Cursos Estágios Hospitais Blog
Ícone Data final
Busca rápida
Busca avançada
dr_setubal_Cyberbullying_Informações_importantes_para_pais_14_06_2017

A série de TV, “13 razões por que? ”, que tem causado várias discussões sobre o suicídio juvenil, aborda de maneira muito interessante o tema do bullying digital.

Vivenciar o bullying é desafiador e perturbador. É uma daquelas situações que podem afetar negativamente a saúde mental de uma pessoa e pode alterar o caminho que uma pessoa toma, dependendo de como a situação é tratada.

Como a vida tornou-se digital e on-line, perseguidores tem atuado lá também. O problema com perseguidores digitais é que não tem rosto e são difíceis de serem identificados. O efeito negativo, entretanto, não é menos significativo, em crianças e adolescentes. De fato, bullying digital ou on-line – cyberbullying – é a situação negativa mais comum que pode acontecer ao passar o tempo no espaço online para qualquer um de nossos filhos.

1- O que torna o cyberbullying tão desafiador?

As crianças não relatam para adultos e não querem indicar seus amigos. Para adicionar insulto à lesão, as escolas podem não ter grandes estratégias para lidar com ele.

2- Como você sabe se uma criança está sendo intimidada?

Pode ser um desafio descobrir. Procure sinais sutis ou mudanças de comportamento:

3- Como com todas as mudanças da infância do comportamento usual, qualquer coisa que é extrema e que interfere com o repouso ou sono, na escola e nos amigos, justificam a revisão adicional. Converse com a escola para saber se as notas estão piorando, e chame seu pediatra para fazer uma avaliação que inclui uma discussão de se seria apropriado obter a entrada psicológica.

4- Por que a intimidação está em ascensão?

Bullying está em ascensão devido a mudanças tecnológicas em nossa cultura. A facilidade de acesso, juntamente com a tecnologia é parte do problema. A natureza indireta da Internet permite que as crianças sejam mesquinhas, por causa do poder sem rosto que a tela e as redes sociais constroem. Estar online também remove a empatia que o contato face a face cria.

5- O que os pais devem fazer se seu filho está sendo intimidado?

Estudos mostram que a criança intimidada, muitas vezes, conhece o perseguidor. A polícia pode acompanhar o endereço IP para encontrar o perseguidor e manter seu filho seguro, que é o objetivo final.

Qualquer criança que passa certo tempo online está em risco de ser intimidado. Nossos sentidos off-line para detectar que algo está fora com o nosso filho vão nos ajudar a perceber que algo pode ter ocorrido e perguntas devem ser feitas. E você pode querer considerar o uso de programas de monitoramento de software especiais que o ajudam a descobrir situações que o seu filho pode não saber como falar com você sobre para ajudar a tornar as conversas que as crianças acham muito difícil, mais fáceis de expor a qualquer adulto, incluindo os pais. É importante manter uma mente aberta e ouvir sem exagerar se sua criança vem até você com informações difíceis de ouvir. Fique atento e procure observar as atitudes de seu filho.

Saiba mais:

http://institutopensi.org.br/?s=bullying

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Adaptado de “CyberSafe: Protecting and Empowering Kids in the Digital World of Texting, Gaming, and Social Media” (Copyright © 2011 American Academy of Pediatrics)

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Avatar
Dr. José Luiz Setúbal
Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

Postagens Relacionadas