11 2155-9358
Logo Pensi
Institucional Blog Pesquisas CEP FJLES Cursos
Data inicial
Estágio Hospitais Boletins Releases Parcerias
Ícone Data Final
Busca rápida
Busca avançada
Institucional Voluntariado Parcerias Releases Boletins
Data inicial
Núcleos Cursos Estágios Hospitais Blog
Ícone Data final
Busca rápida
Busca avançada

Saiba quando se preocupar com a queda dos fios de seu filho

Na seção do nosso Blog: Pergunte ao Pediatra, surgiram algumas perguntas sobre queda de cabelos em crianças, por esta razão resolvemos escrever sobre o assunto.

Quase todos os recém-nascidos perdem alguns ou todos os fios de seus cabelos. Isso é normal e esperado. A perda, que ocorre nos primeiros 6 meses de vida, não é um motivo de preocupação, mas uma simples troca da penugem do bebê por fios mais maduros.

Normalmente, o bebê perde o cabelo quando o atrita contra o colchão e pelo hábito de bater a cabeça. Também ocorre a queda dos fios da parte de trás do couro cabeludo.

Em casos muito raros, os bebês podem nascer com alopecia (queda de cabelo), que pode ocorrer sozinha ou acompanhada de determinadas anomalias das unhas e nos dentes.

Com o passar do tempo, na infância, a perda de cabelo pode ser devido a medicamento, lesão no couro cabeludo, problema médico ou nutricional.

Uma criança mais velha também poderá perder seu cabelo, se for usada muito força nas tranças ou se puxar demais os fios, durante a escovação ou penteado.

Algumas crianças, com idade inferior a 3 ou 4 anos, enrolam os fios nos dedos, como um hábito reconfortante e, inocentemente, podem arrancá-los. Outras, geralmente as mais velhas, podem puxar seus cabelos, mas negam que o fazem ou podem não estar cientes de estão agindo de tal maneira. Esta atitude, muitas vezes, é um sinal de estresse emocional, que deve ser discutido com o pediatra.

A alopecia areata é uma doença comum nas crianças e adolescentes e parece ser uma reação “alérgica” ao próprio cabelo. Neste distúrbio, os fios caem de uma área circular e se forma a careca. Em geral, quando atinge algumas partes, as perspectivas para recuperação completa é boa. Mas, quando a condição persiste ou piora, cremes e até injeções de esteroides e outras formas de terapia no local da queda, normalmente são usados. No entanto, se a perda for constante, poderá ser difícil renovar o crescimento dos cabelos.

Existe também a queda de cabelo pelo uso de alguns medicamentos, como nas quimioterapias para tratamento de câncer, ou doenças como micoses, estresse, deficiências nutricionais, síndrome de má absorção, desnutrição, entre outras.

A alopecia e outros tipos de queda podem ser um sinal de outros problemas médicos ou nutricionais, por isso, consulte sempre o pediatra, após os primeiros 6 meses de vida da criança, sempre que estas condições ocorrem. O médico vai olhar para couro cabeludo do seu filho, determinar a causa e prescrever o tratamento. Às vezes, um encaminhamento para um dermatologista é necessário.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Instituto Pensi
O Instituto Pensi é o braço de ensino, pesquisa e projetos sociais da Fundação José Luiz Egydio Setúbal enquanto o Hospital Infantil Sabará é seu braço de assistência médica.

Postagens Relacionadas