PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A importância da quinta dose de vacina tríplice
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A importância da quinta dose de vacina tríplice

A importância da quinta dose de vacina tríplice

07/05/2013
  558   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A população precisa se conscientizar do quanto à prevenção da doença é importante desde a infância

vacina coqueluche

A incidência de coqueluche, ou tosse comprida, aumentou nos Estados Unidos desde a década de 1980, apesar das altas taxas de crianças que receberam vacinas para se proteger contra a doença. O mesmo ocorreu no Brasil.

Um estudo publicado em abril na revista Pediatrics, determinou por quanto tempo a imunidade à coqueluche dura depois que as crianças recebem a quinta dose de difteria, tétano e coqueluche (DTPa), vacina destinada àquelas que se encontram na faixa etária de 4 a 6 anos de idade.

Pesquisadores, junto do Controle e Prevenção de Doenças (EUA) e dos escritórios de saúde pública em Oregon e Minnesota acompanharam os registros de imunização de crianças nos dois estados americanos e os compararam com os dados de vigilância de coqueluche. Eles identificaram um aumento na incidência da doença em crianças de 6 anos depois de receber a quinta dose de DTPa, o que sugere que a imunidade tinha diminuído.

A incidência de coqueluche em crianças de 7 a 10 anos em Minnesota aumentou mais de seis vezes entre os anos de 2007 a 2010. De 2006 a 2010, os casos entre 7 a 10 anos de idade no Oregon também subiu, mas em um grau muito menor.

Estudos recentes, incluindo este, sugerem que a proteção da série DTPa começa a diminuir após a vacinação, o que ajuda a explicar a crescente incidência de coqueluche em 7 a 10 anos de idade que já tiveram um baixo risco de doença, provavelmente, devido às vacinas de célula completa ao invés da vacina pertussis acelular, agora em uso.

Os autores do estudo concluem que, devido às novas vacinas, é importante manter as altas taxas de imunização com vacinas existentes para proteger as populações vulneráveis ​​contra a doença que circula pela comunidade.

No Brasil, o uso de vacinas com pertussis acelular na vacinação pública é bem recente, mas a conclusão vale para nós também e mostra a importância da quinta dose da vacina para coqueluche, difteria e tétano com 4 anos e o reforço aos 15 anos.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Waning Immunity to Pertussis Following 5 Doses of DTaP

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade