PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A TV e o comportamento infantil
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A TV e o comportamento infantil

A TV e o comportamento infantil

22/04/2013
  399   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Mesmo que possa soar impossível, a televisão pode exercer uma influencia positiva nas crianças

televisão e comportamento infantil

Desde pequeno, ouço dos mais velhos que a TV estraga e deseduca as crianças. O mesmo ocorre hoje com os videogames ou os computadores. A pergunta que fica é: a televisão pode mesmo influenciar uma pessoa?

Como a maioria dos pais de crianças pré-escolares tem testemunhado, é comum que aquelas que se encontram nesta idade queiram imitar os comportamentos vistos na televisão ou em filmes, independente se a temática do programa for de violência, de ação ou de romance. Esse efeito da mídia pode ser usado para impactar positivamente o comportamento das crianças conforme a publicação da Revista Pediatrics da Academia Americana de Pediatria, na edição de março de 2013.

Para o estudo, pesquisadores analisaram 820 famílias com crianças de 3 a 5 anos que passaram algumas horas na frente das telas por determinado tempo em cada semana. Por meio de uma orientação pediátrica, metade das famílias que participaram da intervenção substituiu a programação mais agressiva e violenta por uma com conteúdo infantil “pró-social” e/ou educacional. A outra metade representou o grupo de controle.

A intervenção não tentou reduzir o número de horas de tempo das crianças diante da televisão, mas incentivou uma visualização de mídia positiva e de covisão (coparticipação ao assistir) com os pais.

Os pesquisadores acompanharam as famílias regularmente por 12 meses. Aos 6 meses e 12 meses, as crianças do grupo de intervenção gastavam muito menos tempo na programação violenta em comparação aqueles que fizeram o estudo do início, no caso, o grupo controle.

Os dois grupos aumentaram ligeiramente o tempo de visualização durante o estudo, mas, o grupo controle, aumentou os minutos de conteúdo violento, enquanto o grupo de intervenção se envolveu com conteúdos pró-social e educacional. Aos 6 meses, as crianças do grupo de intervenção demonstraram agressividade significativamente menor e o efeito durou ao longo dos 12 meses. Assim, os autores concluíram que tal intervenção pode impactar de maneira positiva o comportamento da criança.

Como se vê, a televisão pode influir no comportamento das crianças, mas nem sempre isto é ruim. Portanto, aconselhamos aos pais e aos cuidadores que observem e orientem o que as crianças devem ou podem ver, não só as pré-escolares. Escolha canais com bom conteúdo e veja o tipo e qual a quantidade de propaganda que eles passam, pois elas também irão influenciar as crianças.

Por Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: “Modifying Media Content for Preschool Children: A Randomized Controlled Trial,” Pediatrics (março-2013)

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade