PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A vida extra-uterina dos gêmeos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A vida extra-uterina dos gêmeos

A vida extra-uterina dos gêmeos

23/09/2011
  1461   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp


Eu já assisti zilhões de vezes àqueles programas das Discovery´s da vida sobre gestações múltiplas, grávida e não grávida dos meus gêmeos. Determinadas informações são sempre mais marcantes e, de vez em quando, acabo me lembrando delas ao observar o Joaquim e o Pedro.

 

Os gêmeos univitelinos dividem uma placenta no útero, mas cada um tem o seu saco gestacional, facilmente visíveis no ultrasom. Uma das funções desse saco é de “amortecer” e “lubrificar”o mexe-mexe e a porradaria toda que acontece durante a gestação gemelar.

Pois bem, eles nascem acostumados com chutes, socos e tapas do irmão com quem dividiram o útero. Nascem sim. Podem falar que não, que não há comprovações científicas sobre o assunto (se alguém tiver esse tipo de informação, favor compartilhar!), mas eu tenho certeza que vêm ao mundo “calejadinhos”, porém sem hematomas aparentes.

E comprovo isso diariamente. Assim ó: as crianças tem um trambolho túnel de pano. Eles amam e brincam pra caramba. O Joaquim e o Pedro entram lá, um de cada lado, ficam entalados, se chutam e se atropelam, pé na cara de um, joelho na barriga do outro e outras confusões do gênero.

Pergunta se eles ligam, reclamam ou choram? Na-da. Na-di-nha. É a maior diversão e morrem de rir. Ok, isso não é o suficiente para comprovar hipótese alguma. Mas, acrescente ao teste uma nova variável: a Manu, aquela mocinha espaçosa, que não dividiu placenta com ninguém.

Se resolve participar da brincadeira e o dedinho dela esbarra num fio de cabelo de um dos meninos, pronto! Começa o chororô e o caos geral. Além do túnel, tenho milhares de exemplos. Em todas essas brincadeiras de pular, rolar no sofá, na cama, ou seja, momentos em que envolve pancadaria contato entre as crianças, sempre flui bem entre os dois. Entrando a Manu em cena, desanda.

Outra coisa que eu sempre me lembro desses programas falarem que os bebês, gêmeos, principalmente, reproduzem, após o nascimento, algumas brincadeiras da vida intra-uterina. Sempre achei bobagem, ainda mais porque nem é muito possível imaginar um bebê brincando na barriga da mãe. Quer dizer, aqueles chutes e socos que nós sentimos quando grávidas são o quê, mesmo? Agressividade gratuita? Melhor imaginar os nossos filhotes já brincando felizes da vida dentro das nossas banheiras barrigas.

Uma forma de observar as tais brincadeiras, de acordo com o programa, é ver o verdadeiro fascínio que as crianças têm por brincar nas cortinas. Especialmente os gêmeos, tá? Os meus fazem isso direto, desde pequenininhos. Fica um de cada lado da cortina, se abraçando e se empurrando.

Diz o programa que isso vem lá da vida intra-uterina, quando brincavam meio que através do saco gestacional, que lubrifica e amortece, lembram? A sensação de ter a cortina entre eles parece ser a mesma da separação ocasionada pela presença daquela película.

Será?

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • anny disse:

    estou grávida de univitelinos e não sei nada sobre o assunto, pois só consigo pensar em como eles vão ficar na minha barriga sem se enrolarem no cordão umbilical. Não é nada fácil! Me ajudem!!!!!

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Anny, tudo bem?

      A Natureza é bastante sabia para que isto não aconteça. Sabe-se de pessoas com 4 a5 gêmeos. Fique tranquila, curta sua gravidez, faça um bom pré natal, que as chances de dar tudo certo são muito grandes. E PARABÉNS!!!!

      Abraços!

      Equipe Hospital Infantil Sabará

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade