PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Alergias alternativas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Alergias alternativas

Alergias alternativas

27/05/2011
  2256   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp


Quem me conhece, sabe que sou bem tranquila com a criação das crianças, sem grandes preocupações e neuras. Acho que, na maioria das vezes, sou capaz de usar o bom senso e seguir as recomendações médicas.

Mas, quando as crianças são bebês e começam a se alimentar de outros alimentos além do leite, todo o cuidado é pouco! A gente tem que introduzir os alimentos variados devagarinho, ir observando reações, do tipo alergia, paladar, enfim…

Nunca tive grandes surpresas, as crianças são boas de garfo e, muitas vezes, contrariei as recomendações médicas, pelo fato deles terem adorado uma fruta ou outra e, daí, eu dava a fruta inteira, ao invés de dar 2 ou 3 colheradinhas…

Bom, isso tudo até um certo dia.

Os meninos começaram a comer as papinhas de legumes e era uma festa no supermercado! Batata, batata doce, cenoura, mandioquinha, cará, inhame, cada dia um sabor novo. Mais um pouco e começaram os caldos: carne, frango, peixe e fígado.

Eu, ao contrário da maioria das pessoas, AMO fígado e, quando cheguei nessa fase, adorei! Adoro o cheiro do fígado, o gosto,a consistência, tudo, tudo! E comia bastante na companhia da Manu, agora teria mais 2 companhias…

Bom, lá veio da cozinha a papinha de fígado super cheirosa. Joaquim experimentou, gostou e só faltou fazer “Hummmmm”, mas ainda era muito pequeno para isso, essa gracinha viria algum tempo depois e, conhecendo o mocinho, frequentemente.

Pedro experimentou e, em questão de segundos, seu rosto estava todo inchado, tão, mas tão inchado que era quase impossível enxergar seus olhinhos!!! Corri para o telefone, o pediatra me atendeu no primeiro toque (ai, que sorte!) e me disse calmamente:

– Em 30 anos de experiência, nunca vi alergia a fígado, mas é uma alergia. Nunca mais ofereça fígado a ele.

Enquanto isso, a minha faxineira (!!!) do auge da sua experiência, correu na cozinha, encheu uma mamadeira de leite frio e deu pra ele.

– Leite gelado “corta” alergia.

E não é que “cortou”?

Atualmente, se o vizinho resolve fazer uns bifinhos de fígado, eu fecho as janelas!!!

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Silvia Alves disse:

    gostei do comentario, minha filha tem 4anos e adora berinjela mas quando come ela fica com a pele em volta da boca toda vermelha e ardendo será que é normal ou algum tipo de alergia?

    • Zathu disse:

      Sempre fico na dfavida quanto a isso… Sempre coprmo couve para a minha coelha e costumo guardar na geladeira, pegando folha por folha. A coelha gosta mais quando este1 geladinha…rs Mas ne3o sei se a couve vai durar mais se estiver dentro ou fora da geladeira.

  • Glaucilene disse:

    Adorei o blog! Muito fofo!
    E tenho dúvidas. Será que vocês poderiam me ajudar?
    Tenho um filho de 04 anos e desde bebê é alérgico a inhame. Os médicos acham estranhos quando digo, já que o inhame é considerado depurativo. Poderiam me informar como isto é possivel?
    E ultimamente ele tem tido (súbitas e) fortes inflações de garganta, seguidas de dor aguda de cabeça. Tentando encontrar uma explicação pra isto, notei que sempre que acontece, ele comeu chips (geralmente dois dias antes). Sabem algo sobre o assunto?
    Desde já agadeço e aguardo respostas!

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Glaucilene, tudo bem?

      A alergia alimentar é uma doença que pode acometer crianças desde os primeiros meses de vida, após a ingestão do alimento implicado, pelo menos por uma vez.

      Portanto, o mais comum nos primeiros anos de vida, são as alergias aos chamados alimentos infantis: leite, ovo, trigo.

      Entretanto, é sabido que o organismo pode desencadear reações alérgicas a qualquer tipo de proteína alimentar. E isto pode incluir o inhame e a mandioca. No caso destes alimentos, devemos ficar atentos à possibilidade de reatividade cruzada com outras proteínas de origem vegetal, como o látex. Para melhor esclarecimento, é necessário uma consulta com o especialista que poderá indicar testes no sangue ou na pele para uma maior certeza do diagnóstico.

      Em relação às outras reações descritas como inflamações na garganta e dores de cabeça, não são sintomas frequentes de alergia. Podem estar associado a alguma intolerância do organismo e, neste caso, como não se trata de alimentos essenciais (chips) o ideal é evitá-los.

      Qualquer dúvida, consulte sempre seu pediatra.

      Abraços do Hospital Infantil Sabará

  • Anali Ribeiro disse:

    Olá!
    Nossa filha de 2 anos também tem alergia ao inhame. Reações fortíssimas. Acabamos de descobrir. Possuem informações sobre esse tipo de alergia? Glaucilene, gostaria de ouví-la também. Identificou alergia cruzada com batata doce ou outros alimentos? Grata!!

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Anali, é importante que leve sua pequena a uma consulta e solicite a realização de um exame que pode indentificar as alergias que ela possui. Assim, você fica mais segura e ela também. Abraços.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade