PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
As fases do “bico”
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
As fases do “bico”

As fases do “bico”

14/12/2012
  771   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Dar de mamar e usar chupeta são algumas das fases que marcam o crescimento dos filhos

Estava eu esses dias pensando nas fases biológicas que tive desde que soube que estava grávida.

Básico! Mãe tem fases como a lua (sei que tirei de algum poema ou música…), e elas vêm e vão numa loucura danada.

Fácil, fácil! A gente muda de ideia, esquece o que disse e sorri pro que antes disparava o choro mais soluçante do mundo.

Como pra mim BICO NÃO É SÓ CHUPETA, vou falar aqui de todos os bicos que reinam sobre a minha existência desde o positivo.

– Logo que engravidei, o doutorzinho querido já me veio com duas pomadas pra “preparar” o bico do peito pra que o filhote não tivesse dificuldades pra se alimentar.

Fato: passei horas espremendo, apertando, girando, me contorcendo e urrando de dor (dependendo de cada fase da gestação, claro Clóvis…).

Beleza: superfuncionou. Não tive dores durante a amamentação, bico não rachou, sangrou ou incomodou.

– Isaac nasceu pequeno e, até ganhar forças pra sugar tudo o que meu corpo oferecia, fiz a alegria de outros babies que dependiam dos estoques do Banco de Leite Materno aqui da city.

Fato: passei hoooooras na ordenha. Manipulando os bicos. Apertando, apertando e apertando. Depois armazenando, congelando e doando.

Beleza: foi uma das melhores coisas que fiz como mãe. Já que ser mama é doar-se, pensar no próximo e integrar-se com as necessidades de todas as outras crianças do mundo. (E ser exagerada também…).

– Meu filho é bicudo.

Fato: confesso, puxou pra mim. Faço bico mesmo. Pra comer, pra demonstrar carinho, satisfação e brabeza.

Beleza: tem coisa mais gostosa neste mundo que biquinho de criança????

– Os bicos da mamadeira. Existem mais opções de bicos de mamadeira disponíveis no mercado hoje do que George Lucas poderia imaginar.

Fato: com o fim da licença maternidade e os suquinhos entrando na dieta, penei um tanto (me descabelei até) pra que filhote escolhesse um e se apegasse a ele.

Nem tão beleza assim: demorou, viu? E foi meio que na marra, mas deu certo. Mas até aí o que eu ouvi de pitaco, opinião, palpite, conselho e pentelhação…

– Bico ou chupeta, como quiserem… Quando falavam pra mim sobre eu ser tirana: NÃO, NÃO E NÃO!

Fato: Isaac pegou o dedo. Chupava tão forte que eu acordava com o barulho de madrugada. Lembrei do meu irmão usando aparelhos horríveis pra corrigir o que a chupação de dedo fez com a boquinha linda dele.

Beleza. Será?: pediatra receitou e lá foi esta mama correr atrás do modelo de chupeta que o filhote aceitasse. Lógico que Isaac gostou daquela mais vagabundinha, comprada na vendinha como última opção. Antes eram usadas só pra dormir, agora ele pega qualquer uma, suja ou limpa e pede o dia todo.

– Esterilização dos bicos. Regra básica da higiene que passa por fases também, dependendo de tempo e sanidade maternal.

Fato: no começo, toda chupeta era limpa. Esterilizada, fervida, analisada. Depois de um tempo, só uma passadinha pela torneira, aguinha corrente. Mais adiante, uma passadinha na fralda e tals. Com o pequeno cheio de vida, correndo e pulando aí é que a coisa fica mais relaxada. Primeiro que você nem vê todas as vezes que a chupeta foi pro chão ou foi passada em algum lugar. As crianças a usam como um tipo de sensor, uma extensão do corpo e dos sentidos. Depois que, dependendo do lugar e suas condições de higiene, uma assopradinha resolve qualquer problema.

Beleza pura: cuidado é bom! Recomendo e tenho muita atenção com a saúde do pequeno, mas chega certo momento que essa desencanação acontece naturalmente. Crianças tem sim que ser bem tratadas, mas sem neuras.

– Bico de canudo.

Fato: quando Isaac aprendeu a usar canudo, somado a regulamentação da Anvisa que obriga canudinhos embaladinhos separadamente, a vida ficou mais colorida.

Beleza: não ter que carregar copinho, chuquinha e tals pra um passeio ajuda e muito. Não ter que ficar passando suco, água e tals de um recipiente pra outro, a glória. Não ter copo/chuca sujo vazando na bolsa, vitória.

– Distanciando dos bicos. Filhote cresceu.

Fato: está na hora de pensar em tirar os bicos de nossas vidas. Estou à procura do copinho de transição mais bacana e as voltas com a decisão de quando e como (Oh vida! Oh céus!) tirar a chupeta do Isaac.

Belezinha: acredito que com a mamadeira vai ser mais fácil, já que filhote adora um copinho diferente, mas a chupeta… ai, ai, ai.

Postado Originalmente em: Viajando na Maternidade

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade