PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Como num romance…
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Como num romance…

Como num romance…

04/01/2013
  382   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Declarações no meio da noite fazem o coração de qualquer mãe saltitar dentro do peito

O sono era dos justos.

Com certeza, ela sonhava que dormia na melhor das camas, com o maior dos silêncios e as mais longas e aproveitadas horas.

De lá do outro quarto, ele chama. Primeiro com uma voz doce, frágil.

Depois de algumas tentativas, ele já demonstrava certa impaciência e o choro sem lágrimas ficava cada vez mais sintetizado através das ondas da babá eletrônica.

A mãe levanta e, tropeçando, vai padecer no paraíso, às duas e meia da manhã.

No curto caminho, pensou nos motivos, nos prós e contras das mamadas a essa hora. Lembrou-se do almoço de domingo, pensou na sobremesa. Passou a mão no cabelo e lembrou que há tempos não os cortava.

Tropeçou mais uma vez e viu que ia ter que convencê-lo que mamar àquela hora não era uma coisa assim tão bacana.

Foi até a beirada do berço.

Sorriu. Que mãe não sorri, mesmo assim, de pijamas, descalça, arrancada da cama às duas da matina?

Ele não hesitou. Pediu o tetê.

Ela bem que tentou. Ele ameaçou um escândalo. Deixou de ouvi-la. O que quer que ela falasse.

Pacientemente, ela se levantou da poltrona branca, foi até a cozinha.

No caminho, pensou em mais uns cinco ou seis detalhes da vida.

Preparou o alimento.

Voltou e lá ele estava. Acordado. Esperando.

Ela trocou a fralda, ofereceu o leite e ali ficou esperando.

Ao terminar, ele avisa, estende os braços e pede a chupeta.

Vira as costas.

Ela permanece ali, imóvel, esperando que o sono venha rápido.

Ele se vira de repente:

– Mamãe…

– Oi, filho…

– Te amo.

– Eu também te amo. Muito.

– E eu te amo mais que tudo.

De novo ele se ajeita no travesseiro, vira de costas.

Ela?

Ah… Ela se ajeita pra vida inteira e não há pensamento que a faça parar de sorrir. Por um bom tempo.

Originalmente postado em: Viajando na Maternidade

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade