PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dia do Pediatra: as emoções da profissão
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dia do Pediatra: as emoções da profissão

Dia do Pediatra: as emoções da profissão

26/07/2013
  600   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Os profissionais dessa área se dedicam na recuperação do paciente e no acolhimento da família

Dia do Pediatra as emoções da profissão

Um dos maiores desafios da vida profissional do pediatra é lidar com as angústias e os sofrimentos das famílias que têm uma criança gravemente enferma, admitida em uma Unidade de Terapia Intensiva. O intensivista pediátrico, como todo pediatra, tem por característica acolher intensamente o paciente e os familiares e, por isso, acaba por compartilhar e se envolver com esses momentos difíceis do dia a dia da UTI.

Na passagem do Dia do Pediatra, vem à minha mente inúmeros casos que tive oportunidade de acompanhar na minha carreira. Um deles é bem emblemático. Tratava-se de um paciente de 2 anos que havia sido admitido por sepse, broncopneumonia extensa grave e insuficiência respiratória intensa. O manejo clínico dele foi muito difícil e a criança quase foi a óbito algumas vezes. A angústia dos familiares chamava a atenção pela maneira como se expressavam diante da situação que viviam. No final, após 6 semanas, foi possível dar alta para essa criança. Esse seria apenas mais um doente em que teríamos a gostosa sensação de dever cumprido.

Entretanto, o fato que tornou esse caso muito especial para mim, ocorreu quase 2 anos após a alta. Estava eu colocando as minhas compras no porta-malas do meu carro no estacionamento de um hipermercado da cidade. Subitamente, uma criança puxa a minha camisa pelas costas. Ao me virar, encontro um menino alegre com uma caixa de chocolates dizendo: “tio, essa caixa de chocolates é pra você…”. Confesso que, de imediato, eu não havia reconhecido aquela criança, a que eu havia tratado há 2 anos.

Em seguida, a mãe vem ao meu encontro e diz que tinha me visto no supermercado e me considerava um dos que mais havia contribuído na recuperação de seu filho. Decidiu me fazer um pequeno agrado como forma de demonstrar seu agradecimento. Fiquei profundamente emocionado! Momentos como esse não tem preço!

Em tempos em que prolifera na mídia a ideia de que os médicos só pensam em ganhar dinheiro trabalhando pouco, o Dia do Pediatra é mais uma oportunidade para refletirmos com mais profundidade sobre essa questão. Nós continuaremos a nos dedicar totalmente na recuperação dos nossos pacientes, em situação crítica ou não, e no acolhimento das famílias, independente das adversidades que encontraremos no nosso dia a dia.

Essa é nossa missão!

Por Dr. Albert Bousso

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade