PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dia do Pediatra: a rotina no pronto-socorro
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dia do Pediatra: a rotina no pronto-socorro

Dia do Pediatra: a rotina no pronto-socorro

24/07/2013
  779   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Conheça uma das partes compensadoras da vida desse profissional que cuida dos seus filhos

Dia do Pediatra

A formação do médico não se inicia no primeiro dia de aula na faculdade. Inicia-se, aproximadamente, 20 anos antes, no berço, quando são formados o caráter, a ética, a moral e o humanismo desse profissional. Afinal, para cuidar de um ser humano é preciso de outro que se identifique com ele.

O pediatra tem a honra de cuidar do maior patrimônio que nossa espécie possui: nossos filhos. Se nos preocupamos demais quando temos nossa casa ameaçada por uma rachadura e buscamos a melhor consultoria antes de tomar qualquer medida, imaginem com nossos maiores bens!

No pronto-socorro infantil, não é diferente. Em momentos de urgência, toda nossa angústia, ansiedade e medo são amplificados e levados conosco para uma relação com um profissional que sequer conhecemos, porém, dependemos.

Por isso, grato pela confiança depositada, o pediatra do pronto-socorro tem o privilégio e a responsabilidade de, em poucos minutos, orientar medidas que mudarão os próximos muitos anos de vida.

Lembro-me bem de uma menina de 9 anos que atendi. Apresentava uma dor abdominal atípica que se revelou após 2 internações, 1 cirurgia e 1 parada cardíaca, um raro caso de tuberculose no pericárdio (membrana que envolve o coração).

A mãe dessa paciente voltou com a garota em um dia em que estava de plantão só para agradecer: “Obrigada por cuidar da doçura da minha vida, doutor”. E me entregou uma caixa do melhor chocolate que encontrou. Um presente tão caro para aquela família, que nunca o teria experimentado.

Vi pelos olhos da menina e, como já fui criança, abri a caixa e lhe ofereci o primeiro pedaço.

Não ironicamente, o beijo que a criança me deu no rosto foi infinitamente mais doce.

Por Dr. Felipe Lora

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade