PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dia Mundial do Aleitamento Materno
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dia Mundial do Aleitamento Materno

Dia Mundial do Aleitamento Materno

02/08/2012
  552   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Saiba mais sobre os benefícios da amamentação até os 6 meses de vida

Ontem, dia 1º de agosto, comemorou-se o Dia Mundial do Aleitamento Materno, e como já falamos aqui tantas vezes, mais uma vez vamos tocar no assunto. Em março de 2012, foi publicado um texto da minha amiga e professora Dra. Cléa Leone sobre os fatores de risco associado ao desmame precoce, na revista Paulista de Pediatria.

Como se sabe, a Organização Mundial de Saúde (OMS) assim como as sociedades de pediatria do mundo todo e o Ministério da Saúde do Brasil, preconizam o aleitamento materno por exclusivo durante 6 meses. Isso é recomendado para a “obtenção de um padrão de crescimento e desenvolvimento harmônico destas crianças, associados a sua provável influência sobre a qualidade de vida futura de cada indivíduo, e considerando-se a ocorrência de doenças, como as cardiovasculares, diabetes melito tipo 2, hipertensão arterial, doenças alérgicas e os desvios nutricionais representados pelo sobrepeso e obesidade”.

Com tantos benefícios, por que o aleitamento exclusivo não prevalece?

“Nesta pesquisa, a prevalência de aleitamento materno exclusivo na cidade de São Paulo até os 6 meses de idade foi de 39,1%, maior do que a de relatos anteriores, como a de 1999, relativa aos primeiros 4 meses de vida, a qual foi 24,9%. A análise dos fatores associados à ausência de Aleitamento Materno Exclusivo nos primeiros 6 meses de vida, evidenciou o uso da chupeta nas últimas 24 horas como o fator de risco mais significante, seguido pelo trabalho da mãe fora de casa e a idade da criança, enquanto um maior peso de nascimento foi associado a uma maior proteção à manutenção do AME.

A realização de diversas análises de fatores associados ao desmame em vários países e regiões têm contribuído para identificar fatores que, apesar de comuns, têm uma influência específica sobre os padrões locais de aleitamento, dependentes do meio cultural e econômico, de organizações sociais, sistemas de saúde e também de crenças religiosas”.

Para que as mães não tenham dúvidas, o melhor alimento para seu filho até os 6 meses é o leite materno, por mais maravilhosa que seja a fórmula do leite infantil, ela é feita a partir de um leite de vaca, que é o melhor para os bezerros, e embora a tecnologia tenha melhorado esta adaptação, ela ainda é muito inferior ao original humano.

Por Dr. José |Luiz Egydio Setúbal

Fonte: Rev. paul. pediatr. vol. 30 no. 1 Março 2012 21
Cléa Rodrigues LeoneI; Lilian dos Santos R. SadeckII; Programa Rede de Proteção à Mãe Paulistana III

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade