11 2155-9358
Institucional Blog Pesquisas CEP FJLES Cursos
Data inicial
Estágio Hospitais Boletins Releases Parcerias
Ícone Data Final
Busca rápida
Busca avançada
Institucional Voluntariado Parcerias Releases Boletins
Data inicial
Núcleos Cursos Estágios Hospitais Blog
Ícone Data final
Busca rápida
Busca avançada
pai no banco do passageiro com a filha adolescente dirigindo

Em 2017, a OMS divulgou um estudo que enumera as principais causas de mortes entre adolescentes brasileiros de 10 a 19 anos. O trânsito está em segundo lugar, perdendo apenas para violência interpessoal.


De acordo com o DataSUS, entre 2005 e 2014, as mortes no trânsito na faixa etária de zero a quatro anos cresceram 66%. Nesse segmento, os óbitos saltaram de 119 para 197 ao ano no país, no período citado.

Para muitos jovens, dirigir na adolescência é um rito de passagem, conferindo a capacidade de viajar de forma independente para a escola, trabalho ou eventos sociais. No entanto, imaturidade, inexperiência e comportamento de risco colocam os motoristas adolescentes recém-licenciados em risco.

Muitas vezes há confusão sobre os melhores passos para manter os motoristas adolescentes seguros, vejamos o que tem de verdade em alguns mitos:

Mito adolescente responsável

Mito: Meu filho adolescente é responsável e não dirige perigosamente, portanto não corre riscos.

Fato: Todos os condutores adolescentes correm maior risco, porque lhes falta experiência de condução e julgamento que só vêm com o tempo e a condução.

Mito do motorista Experiente

Mito: Meu adolescente teve muita prática dirigindo durante a educação de motorista e as 50 horas de prática exigida, portanto, não está em risco.

Fato: A instrução do motorista e a prática de dirigir são apenas o começo de aprender a dirigir – tornar-se um piloto seguro, assim como qualquer habilidade leva tempo, prática e experiência.

Mito do Dirigindo com um amigo

Mito: Seria mais seguro se meu filho adolescente tivesse um amigo no carro, caso algo aconteça.

Fato: Os riscos de colisão são quase o dobro de um passageiro e aumentam ainda mais com cada passageiro adicional. Mesmo amigos “responsáveis” no carro podem distrair um motorista adolescente.

Mito das Leis de Licenciamento

Mito: Os requisitos de licenciamento e as leis de trânsito para adolescentes são suficientes para proteger os condutores adolescentes.

Fato: O programa americano (GDL) é bom, mas é apenas um MÍNIMO. Restrições eficazes impostas pelos pais, que vão além das leis, aumentam a segurança de dirigir na adolescência.

Dirigindo com o Mito dos Irmãos

Mito: Os passageiros irmãos são mais seguros do que outros jovens passageiros.

Fato: Todos os passageiros jovens são potencialmente perturbadores e estão em risco com um novo motorista – os irmãos não são mais seguros.

Mito da Propriedade do Carro

Mito: Ao ter um carro, meu filho adolescente aprenderá a assumir responsabilidade.

Fato: Adolescentes com seus próprios veículos estão em maior risco, porque eles dirigem mais e têm menos restrições colocadas sobre eles.

Mito dos Outros Pais

Mito: Outros pais não estabelecem limites na direção de seus filhos adolescentes.

Fato: Quase todos os pais estabelecem limites, e os adolescentes apreciam saber exatamente o que se espera deles. Quanto mais fortes os limites, melhores os resultados de segurança.

Saiba mais sobre dirigir na adolescência no blog do Hospital Infantil Sabará:

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: adaptado Checkpoints ™ é uma marca comercial da USDHHS, © 2010 The Regents da University of Michigan.

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias.

Avatar
Dr. José Luiz Setúbal
Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas