PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Fase do patinho feio
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Fase do patinho feio

Fase do patinho feio

12/12/2011
  2524   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Os pais devem curtir com as crianças a troca dos dentinhos e saber aproveitar este momento tão especial para os pequenos

Chega uma hora em que nossos bebês começam a trocar os lindos dentinhos de leite por grandes dentes permanentes, que muitas vezes nascem de uma maneira desengonçada.

Isto acontece por volta dos seis anos e os dentes, além grandes, nascem com espaço maior, tortos ou demoram uma vida para descerem. As mães ficam apavoradas sem saber se sairão realmente um dia ou ficarão “entalados” para sempre.

O que é mais engraçado é que as próprias crianças não se incomodam nem um pouco com isso, dão suas lindas gargalhadas banguelas, como se tudo estivesse como antes. Pelo contrário, elas estão orgulhosas da sua condição, sentem-se menos infantis por estarem numa nova fase, olham-se no espelho e estão muito satisfeitas com sua aparência.

Quando percebem que alguns dentes começam a amolecer, elas ficam horas empurrando-os de lá pra cá, mostram para nós, adultos, como eles estão molinhos, e nós, aflitíssimos, queremos que tudo acabe logo, tentamos sorrir para demonstrar ao menos um pouco de apoio moral. Mas os pequenos estão ali, curtindo este momento mágico que é só deles. O ar de vitória que exibem quando conseguem sozinhos arrancá-los é algo indescritível.

Alguns dão “Graças a Deus” que os dentes estão tortinhos, pois isto lhes garante a certeza de usar um dia “lindos aparelhos ortodônticos coloridos”, para desespero dos pais. Como as crianças são puras e felizes sempre, os adultos são quem ficam presos a padrões de uma estética sem sentido e esquecem que um dia todos passaram por isso.

Lógico que suas carinhas ficam diferentes, comparado àquela fase de primeira infância, mas mudanças são ricas em todos os aspectos. É muito comum uma criança reclamar no consultório que seu amigo trocou algum dente e o seu ainda está lá, isto sim significa um problema para ela, seu desejo é exibir “banguela” na escola como todo mundo.

Lembro-me até hoje quando minha filha perdeu seu primeiro dentinho, um incisivo inferior, foi tão marcante que fizemos uma festa pra comemorar. Teve a história da fada dos dentes e tudo que tinha direito.

Mas tenho que confessar que rezei para que os incisivos superiores (que servem para cortar os alimentos) aguentassem mais uns dias, queria que na foto aniversário de seis anos, minha filha estivesse com a mesma carinha de antes. É claro que os dois caíram e no dia da festa, ao lado do ursinho “Pooh”, mas lá estava ela sorrindo radiante, mostrando sua banguelinha e hoje, quando olho o álbum, sinto saudade deste momento, daquele sorriso diferente, que mudou tanto. Relato este fato com muita culpa, mas ao mesmo tempo para dizer que fui tola também e nós pais, lá no fundo, temos certa resistência em aceitar que nossos bebês crescem, mudam, transformam-se em “pessoinhas” independentes, possuidoras de vontades próprias, contestadoras e um dia saem e voam sozinhos.

Desejo a todos os pais, que passam por este momento com seus filhos, curtirem muito. Demostrem o quanto é importante e bacana estarem ali ao deles, “finjam” achar lindo aquele dente “pendurado”, a maior parte das vezes, fica ali durante dias, numa agonia que deve ser aproveitada, festejada, pois é uma uma fase da vida especial. Leiam histórias sobre a fada dos dentes, coloquem moedas embaixo dos travesseiros ou joguem em cima do telhado como faziam antigamente, façam qualquer coisa.

Os anos passam e cada fase da criança é única, não se repete, ficam apenas na foto um lindo sorriso repleto de “inocentes janelinhas”, um tempo que não volta mais!

Por Dra. Marta Haddad

Originalmente postado em: http://glo.bo/uRYmER

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • paula cardozo pirolo disse:

    Adorei o artigo!
    É a mais pura verdade… meu filho tem 8 anos e esta nesta fase de perder os dentes… da frente agora! Ele tem tanto orgulho de sua banguela… não se importa em rir ou mostrar pra todo mundo que ainda não viu que seus dentinhos cairam!
    Com as cças tudo acontece muito rapido… as fases voam… e a gente tem que curtir cada momento pois eles são e sempre serão unicos!
    Abraço
    Paula

  • MANOEL GOMES DE LIMA disse:

    Boa noite!
    A minha filha tem 4 anos e surgiu um pequeno caroço no pescoço, que tipo de especialista devo procurar?

  • Talia disse:

    meu filho tem 11 meses e a pediatra dele disse que ele tem que tomar 220 ml de leite por mamadeira, ela receitou o ninho fase 1+ com mucilon mas to com duvida de como prepar esse leite sendo que sao 2 colheres para 200 ml de leite

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Talia, recomendamos que procure o médico que vem acompanhando seu pequeno pois ele é a pessoa mais indicada para tirar suas dúvidas e dar orientações. Abraços!

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade