PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Gêmeos que renunciam as próprias fraldas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Gêmeos que renunciam as próprias fraldas

Gêmeos que renunciam as próprias fraldas

13/04/2012
  473   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A independência das crianças pós-desfraldamento causa um certo cansaço nas mães

Eu havia resolvido esperar um “sinal” mais evidente de que os meninos estavam prontos para serem desfraldados. Só tiraria a fralda dos moleques, quando estivesse calor de verdade e isso só aconteceria depois de ter “plastificado” os sofás, camas, almofadas e tapetes. Por último, somente poderia acontecer isso, quando EU estivesse calma, tranquila, equilibrada e preparada também.

Então, em uma manhã meio fria, o Joaquim e o Pedro acordaram com febre. Meio caidinhos e dengosos até o remédio começar a fazer efeito. Pronto! Disposição e pique no nível master! E eu já fui pensando que eles iam zonear o sofá, espalhar todos os carrinhos pela sala, grudar massinha na casa toda, mas, não! Fizeram muito pior: arrancaram toda a roupa, a fralda e sentaram (um na privada e o outro no penico):

– Mamãe! Mamãe! A gente vai fazer xixi e cocô na privadinha!

Ah, que lindinhos, me deu vontade até de chorar… de desespero! Como é que se cuida de dois febris auto desfraldantes, que esqueceram de cumprir a cláusula da mãe preparada, tranquila, calma, equilibrada e blá, blá, blá? Mas, para quem engravidou pensando no segundo filho e teve o segundo e o terceiro, isso é moleza! Quem já desfraldou uma mais velha em 10 dias, pode muito bem tirar a fralda dos outros, de uma só vez, até com febre!

Eu não preciso entrar em detalhes sobre o primeiro dia do desfraldamento. São cenas fortes. Não soltei aquele “Ufa! Sobrevivi!” no final daquela data marcante. Passei o dia agachada no banheiro, li 600 livrinhos pra eles, inventei outras 600 histórias, repeti milhares de vezes o discurso de que eles já são hominhos que usam cuequinhas e fazem xixi e cocô na privada. Fiquei absolutamente exausta e acabei com um pacote dos grandes de M&M´s depois do jantar. Entenderam? Ah, e só para constar, eles permaneceram com febre.

E a história continua na próxima sexta…

Originalmente postado em: http://bit.ly/HZk7S4

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade