11 2155-9358
Institucional Blog Pesquisas CEP FJLES Cursos
Data inicial
Estágio Hospitais Boletins Releases Parcerias
Ícone Data Final
Busca rápida
Busca avançada
Institucional Voluntariado Parcerias Releases Boletins
Data inicial
Núcleos Cursos Estágios Hospitais Blog
Ícone Data final
Busca rápida
Busca avançada

Para muitos adolescentes, a obtenção de uma carteira de motorista é um rito de passagem, conferindo a capacidade de viajar de forma independente para a escola, trabalho ou eventos sociais.

No entanto, imaturidade, inexperiência e comportamento de risco colocam os motoristas adolescentes recém-licenciados em risco.

Os acidentes automobilísticos são a causa mais comum de mortalidade e lesões em adolescentes e jovens adultos em países desenvolvidos. Em 2017, a OMS divulgou um estudo que enumera as principais causas de mortes entre adolescentes brasileiros de 10 a 19 anos. O trânsito está em segundo lugar, perdendo apenas para violência interpessoal.

De acordo com o DataSUS, entre 2005 e 2014, as mortes no trânsito na faixa etária de zero a quatro anos cresceram 66%. Nesse segmento, os óbitos saltaram de 119 para 197 ao ano no país, no período citado.

Motoristas adolescentes (15-19 anos de idade) têm a maior taxa de acidentes com veículos motorizados entre todas as faixas etárias nos Estados Unidos e contribuem de forma desproporcional para as mortes no trânsito. Além das mortes de motoristas adolescentes, mais da metade das crianças de oito a dezessete anos que morrem em acidentes de carro são mortas como passageiros de motoristas com menos de 20 anos de idade.

Em 2017, a OMS divulgou um estudo que enumera as principais causas de mortes entre adolescentes brasileiros de 10 a 19 anos. O trânsito está em segundo lugar, perdendo apenas para violência interpessoal.

De acordo com o DataSUS, entre 2005 e 2014, as mortes no trânsito na faixa etária de zero a quatro anos cresceram 66%. Nesse segmento, os óbitos saltaram de 119 para 197 ao ano no país, no período citado.

Os riscos de colisão são quase o dobro quando há a presença de um passageiro e aumentam ainda mais com cada passageiro adicional. Isto é verdade para todos os adolescentes, mesmo aqueles que são responsáveis ​​e confiáveis, o que nem sempre é verdade.

gráfico sobre acidentes de carro distinguindo por idade

Recomendação para pais:

Inicialmente, limite o seu adolescente a NENHUM passageiro adolescente, e gradualmente aumente os privilégios do passageiro à medida que o seu filho adolescente ganhar mais experiência de condução.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê que:

Art. 64. As crianças com idade inferior a dez anos devem ser transportadas nos bancos traseiros, salvo exceções regulamentadas pelo CONTRAN. Isso com dispositivos de segurança próprios para a idade e peso.

A Resolução N.º 277 , de 28 de maio de 2008, acrescenta especificações sobre os dispositivo de retenção para crianças, que devem ser utilizados até os sete anos de idade.

Os bebês de até nove quilos devem ser transportados no “bebê-conforto”. Depois do primeiro ano de vida, as cadeirinhas se fazem necessárias e, dos quatro aos sete anos, as crianças devem andar no assento de elevação.

Saiba mais no blog o Hospital Infantil Sabará:

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte:

  1. https://autopapo.com.br/noticia/transito-maior-causa-de-morte-de-jovens/
  1. https://autopapo.com.br/noticia/transito-maior-causa-de-morte-de-jovens/

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias.

Avatar
Dr. José Luiz Setúbal
Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas