PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Nome do marido depois de casada?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Nome do marido depois de casada?

Nome do marido depois de casada?

24/02/2012
  1964   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Uma das razões de acrescentar o sobrenome do marido ao nome da mulher é que o sentido de união e de família ficam mais evidentes

Um dos sites que eu acesso com bastante frequência “pendurou” um banner superior relativamente grande fazendo a seguinte pergunta: “você pegou o nome do seu marido depois que se casou?”.

Já tive essa discussão com algumas amigas, cada uma pensava de maneira diferente, foi uma conversa bem produtiva, de pontos de vista quase opostos. Daí, fico vendo o banner com a pergunta que não quer calar, penso e reflito cada vez que o leio e resolvi escrever esse post.

Se quiserem, podem me perguntar: “você pegou o nome do seu marido depois que casou?”. A minha resposta é sim! Sim! Sim! Aliás, não consigo pensar em outra maneira de ser depois de casada, senão com o nome do meu esposo. Além disso, chego a fazer campanha para as noivinhas acrescentarem os sobrenomes dos amores aos seus (até já consegui que algumas pegassem!).

Mas, vamos lá: quais os motivos de se querer pegar o nome do marido e até fazer campanha para isso? (Vou incluir aqui alguns argumentos que foram apresentados naquela discussão com as amigas).

Do meu ponto de vista, a mulher é uma pessoa até se casar. É filha de um pai e de uma mãe, inserida em uma determinada família, tem uma história de vida pessoal, carrega o nome daqueles que a botaram no mundo, “faz” um nome, até que… se casa!

Bom, você não deixou de ser aquela pessoa descrita no parágrafo acima, mas passou por uma das maiores transformações que alguém pode passar e isso se chama casamento. Daí, meu amor, é outra história e outra família que está começando. Ok, vocês ainda são apenas dois, um casal, pode faltar comida na geladeira, ter só catchup e cerveja, por exemplo, mas é sim o início de uma família, queira você ter filhos ou não. O marido e a mulher têm a própria casa, as próprias contas, dividem uma cama, um banheiro, os sonhos, portanto esse embrião de grupo precisa ter um nome; minha fortíssima e pessoal opinião, que fique claro.

Talvez você já fosse “alguém” do ponto de vista profissional antes de casar. Tinha um nome (o de solteira) e era conhecida por ele, portanto não quer mudar, que trabalheira, hein?! Certo, não precisa alterar o nome pelo qual você é conhecida, pode continuar usando o de solteira, mas pode também acrescentar o sobrenome do marido, por que não?

Ou, já ouviu também, por que pegar o nome do esposo? Se você se separar vai dar o maior trabalho para voltar tudo… Isso existe? É claro que sim, mas eu casei para viver feliz para sempre, então o esforço é único: na hora de atualizar todos os documentos com o nome de casada. Aliás, digo que nem me lembro mais da burocracia, tenho é o maior orgulho de exibir o apelido de família do meu esposo nos meus documentos. Ah, esqueci de outro caso: gente que casa, pega o sobrenome do marido, separa e o mantém por questões profissionais. Até aí, sem problemas, contanto que seja de acordo com os dois e, eventualmente dos novos envolvidos nos existentes recasamentos, é claro.

Eu cumpri exatamente o protocolo paternalista: mantive o sobrenome do meu pai e acrescentei o sobrenome da família paterna do meu marido. Corretíssimo, do ponto de vista machista, podem atirar pedras, fiquem à vontade.

Tenho orgulho de termos o mesmo nome no plano de saúde, na conta bancária, nas passagens de avião, nas reservas dos hotéis, isso tudo me mostra que somos uma família. Podem continuar achando tudo uma besteira, afinal é só (?) um nome, mas me faz sentir como uma unidade, é o nosso núcleo familiar.

A minha mãe, por exemplo, casou com o meu pai e pegou o nome dele. Tiveram duas filhas, cada uma com o sobrenome do pai e da mãe. Unidade familiar perfeita. Daí, eles se separaram. A minha mãe foi lá e tirou o apelido de família do meu pai. Acho justo. Eu me casei, fiquei com o nome do meu pai e o do meu marido. Então, se você pegar o sobrenome da minha mãe hoje ele não tem nada a ver com o meu. São necessários alguns documentos para provar que ela é a minha progenitora. Coisa chata uma pessoa ficar precisando de documento para provar a maternidade, não acham? Mas, nesse caso, qual seria o mais correto? Ela, mesmo divorciada, andando por aí com o nome de casada, ou eu, casada, vagando por aí com o de solteira?

É aí que entram os filhos. Se antes éramos um casal, apenas duas pessoas, embrionárias de uma família; no meu caso, vieram três filhos e temos todos o mesmo nome. Ninguém nunca perguntou se eu era mãe deles ao olhar o meu RG e a certidão de nascimento deles, é óbvio, me dá orgulho de ter uma família unida e estabelecida inclusive em aspectos considerados burocráticos, não me importo.

É claro que eu sou outra pessoa depois de casada e com filhos, ainda bem que é assim! Tem que ser assim. A pessoa que eu era antes não morreu, ela se transformou, cresceu, amadureceu, ganhou status e condição de “matriarca” e carrega um nome para isso.

Mas, e vocês, pegaram o nome dos maridos depois de casar?

Originalmente postado em: http://bit.ly/xhaMBE

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • eber de souza disse:

    como alterar nome de pois de casada

  • Flavia Santanna Delfino disse:

    ola td beM? entao meu noivo colocou meu sobrenome e eu o dele,mas ele acho melhor cancelar e deixa so o dele mesmo tem como antes do casamento resolver isso.

  • Ricardo disse:

    Boa tarde.
    Lindo comentário. Vivo muito triste porque minha esposa não aceita meu nome e continua colocando em tudo, relativo aos filhos, o nome do pai dela.
    Abraços
    Ricardo

  • Lívia disse:

    Bom Dia, estou casada a 7 meses, qndo resolvemos arrumar os papéis para o casamento no civil, optei por não mudar meu nome, mantive o nome de solteira, na ocasião meu marido não questionou, nem indagou nada, aceitou numa boa, é tanta burocracia para mudar os documentos que achei melhor ficar assim mesmo, porém de uns tempos para cá, ele sempre joga na minha cara que eu não quis o sobrenome dele, que quem sabe se quando tivermos filhos ele tbm nem tenham. Quando alguém comenta que colocaria sim o sobrenome do marido, eu percebo que ele fica sentido, posso mudar meu nome agora, depois de casada no civil? Posso tirar algum nome meu já que tenho nome composto, depois o sobrenome da minha mãe e por ultimo o do meu pai. Ou só posso acrescentar o dele? Como faço? Abraços.

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Livia, po se tratar do Blog Saúde infantil, voltado ao universo infantil não temos como responder a estas dúvidas burocráticas. Recomendamos que procure um cartório próximo a você, ou que busque alguns dados na internet. Obrigado.

    • Jackson disse:

      Não seja tola e não se deixe levar por essa sociedade machista. Nome não quer dizer nada. Esses tipos de tradições idiotas tem que acabar, bem como outras diversas também.

  • Mari disse:

    Oi boa tarde não troquei meu nome quando casei e estou arrependida casei em maio e gostaria de trocar agora tem como ?quero usar o sobrenome dele :(((obrigada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade