PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O Caracol Natalino
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O Caracol Natalino

O Caracol Natalino

03/12/2012
  589   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Uma receita apetitosa para acompanhar a celebração de Natal ao lado da família

Luzes pela cidade toda, enfeites de Papai Noel, renas, estrelas, presépios em tamanho real pelos shoppings e (mais) trânsito na Paulista. Não temos dúvidas, o Natal chegou.

Anda chegando cada vez mais cedo, na verdade, o que é engraçado, pois a impressão que eu tenho é que, quanto mais cedo começo senti-lo chegando, mais tarde consigo começar meus preparativos. Acho que ver a primeira árvore nevada em outubro faz com que meu senso de urgência desapareça até que seja tarde demais.

Até o durante agora é mais difícil, já que ao invés de 2, tenho 4 festas a atender – e Tomás sendo o único neto de ambos os lados da família, vocês imaginem como é se dividir entre todos. Mas, apesar da loucura toda, eu adoro o Natal. Adoro o espírito que irradia das pessoas, a reunião, a bagunça, as memórias e, claro, a comida. Presente de amigo secreto nunca se sabe, mas a comida não tem erro: é sempre uma delícia!

Por isso mesmo quebrei a cabeça pra decidir o que iria fazer por aqui… O plano original era colocar a nutella caseira que me pediram (processo em andamento, aguardem), já que nesta época fica mais fácil encontrar avelãs, mas há ainda alguns ajustes a serem feitos. Depois, pensei em biscoitos de gengibre no estilo gingerbread man, mas achei que podia ser muito batido (além de que já postei muitos biscoitos por aqui). Aí entrei numa paranoia de que todas as coisas mais típicas desta época eram importadas do Hemisfério Norte e que eu tinha que fazer algo com frutas do verão, só pra depois decidir que era uma ideia um tanto tola.

Depois de rejeitar praticamente tudo que passou pela minha cabeça, resolvi embarcar na minha mais nova obsessão: rolos. Não, não rolo de macarrão. Rolo do tipo cinammon roll que parece um rocambole, só que com massa tipo de rosca, com recheio de canela. Hmmm… Delícia!

Desde que fiz pela primeira vez, fiquei fissurada neles e agora o céu é o limite. Resolvi tentar a sorte com sabores natalinos e o resultado foi algo com uma massa que lembra um pouco panetone e um recheio super-rico com vários elementos maravilhosos desta época, num formato divertido pras crianças!

Presentão, hein, gente?

Antes de começar, gostaria de esclarecer que meu pequeno Tomás adora tudo quanto é condimento e come até pimenta. Se seu filho não é chegado nessas coisas, fique à vontade para substituir ou até suprimir algumas das coisas que eu coloquei, afinal, é para eles que estamos cozinhando – apesar de que os adultos também irão adorar.

Caracol Natalino (porque rolo é um nome feio e caracol é simpático)

Além dos ingredientes aqui listados, você vai precisar de duas formas: uma de muffins e outra de 22cm. Se não tiver a mão nenhuma dessas, use a forma de sua preferência seguindo as mesmas instruções.

Ingredientes

Para a massa (levemente adaptada da Food & Wine Magazine):

–      1 xícara de leite;

–      2/3 xícara de açúcar;

–      1 saquinho de fermento biológico seco;

–      120g de manteiga em temperatura ambiente;

–      2 ovos;

–      ¼ colher (chá) de sal;

–      4 ¼ xícaras + ½ xícara de farinha de trigo;

–      3 colheres (chá) de essência de amêndoas (de preferência, natural).

Para o recheio:

–      3 maçãs gala;

–      2 maçãs verdes tipo Granny Smith;

–      1 xícara de suco de romã (natural ou de caxinha)*;

–      1 colher (sopa) suco de limão;

–      1 xícara de açúcar demerara;

–      ½ colher (chá) de cravo em pó;

–      ¼ colher (chá) de cardamomo em pó;

–      ½ colher (chá) de pimenta da Jamaica em pó;

–      ¾ colher (chá) de canela em pó;

–      120g de manteiga em temperatura ambiente;

–      ¾ xícara de noz pecã picada;

–      ½ xícara de chocolate (eu usei callets de chocolate com 50% cacau, mas você pode picar qualquer chocolate de sua preferência).

* Existe suco de romã industrializado da Ceres. Caso não encontre ou não queira usar, substitua por suco de meio limão.

 

Modo de preparo:

Esquente o leite até que fique morno. Adicione o açúcar e o fermento e deixe descansar por 5 minutos.

Se usar uma batedeira: coloque a farinha misturada com o sal numa tigela, junte os ovos, manteiga e a mistura de leite, e sove em velocidade baixa até que a massa comece a desgrudar do fundo. Adicione a última ½ xícara de farinha e sove até que a massa esteja brilhante.

Se fizer a mão: coloque a mistura de leite em uma tigela, misture com os ovos e a manteiga até que esteja homogêneo para então adicionar a farinha de uma só vez. Tire a massa da tigela, coloque em uma superfície limpa e sove bem até que a massa comece a desgrudar. Adicione a última ½ xícara de farinha e sove mais um pouco até que a massa esteja brilhante.

Coloque a massa em uma tigela untada e deixe descansar por 2 horas, até que dobre de tamanho. A avó de uma amiga minha separava uma bolinha da massa e colocava em um copo de água junto à massa pra saber quando estava pronta.

Enquanto isso, prepare o recheio.

Descasque e tire os caroços das maçãs e coloque em uma panela de pressão junto com o suco de romã e o de limão. Leve a fogo alto até que a panela comece a apitar, então, abaixe o fogo e deixe cozinhando por 15 minutos. Quando abrir a panela, as maçãs deverão estar desintegradas, feito um purê. Se ainda tiver alguns pedaços maiores, amasse com uma colher de pau.

Coloque o purê em uma panela de fundo grosso, adicione o açúcar demerara e os condimentos. Leve a fogo alto mexendo constantemente. Quando começar a ferver, abaixe o fogo e continue mexendo de vez em quando por 20 minutos, quando o purê estará mais espesso (ele deve cair da colher, não escorrer). Coloque em outro recipiente e deixe na geladeira até que esfrie completamente.

Unte as formas.

Quando a massa estiver pronta, o doce de maçã já deverá estar frio, retire-o da geladeira. Bata a manteiga até que fique cremosa e adicione o doce. Bata tudo até que esteja bem homogêneo. Misture as nozes picadas e chocolate à mão. Reserve.

Tire a massa crescida da tigela e amasse para tirar o ar que demorou tanto para se criar lá dentro. Em uma superfície com um pouco de farinha, abra a massa de modo que fique um retângulo de 40cm por 60cm, aproximadamente. A massa é bem elástica e será muito fácil de fazer isso, até seu filho pode ajudar.

Pegue o recheio pronto e espalhe com uma espátula ou colher sobre a massa aberta. Tente deixar o mais uniforme possível. Puxe um dos lados de 40cm delicadamente e enrole a massa como um rocambole.

Com uma faca afiada, corte o rolo em pedaços de aproximadamente 3cm. Os menores, que saem de perto das pontas, coloque na forma de muffin; as mais gordinhas que cortamos do meio do rolo, ajeite lado a lado na outra forma.

Deixe descansar por mais 1 hora. Eles vão crescer mais!

Pré-aqueça o forno a 180oC e asse por 20 a 25 minutos. Deixe esfriar por uns 10 minutos e faça um favor a si mesma: coma um ainda quente, você merece.

Sirva no mesmo dia e guarde o que sobrar em recipiente hermético. Fica ótimo torrado no dia seguinte! Se achar que a receita rende muito (e rende mesmo) pode congelar antes de crescer pela 2a vez ou logo depois de assado.

Feliz Natal!

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade