PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O dilema do filho sedentário
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O dilema do filho sedentário

O dilema do filho sedentário

26/04/2013
  438   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Além de não se interessar por nenhuma atividade física, ele se diverte em momentos errados

filho sedentário

E então que Isaac, entre demonstrar prioridades e preferências e impor seus desejozinhos de forma tirana e birrenta, tem ficado bem com a segunda opção.

Mas até aí a gente segue na luta da educação pela conversa, pelo exemplo e blá, blá, blá.

Sei sim que cada criança tem seu tempo, que a gente não deve forçar que eles têm que se sentir à vontade e ok.


Faço isso. Apoio, entendo, dou espaço. Mas acontece que dia desses a coisa me deixou encucada.

(Tá! Sei que vai passar e eu vou rir de tudo isso, mas me deixa viver minhas neuras)

Fato: Isaac ganhou uma bicicleta da avó. Passa longe dela e nem tem curiosidade de saber pra que serve e nem como funciona.

Histórico: filhote nunca nem tentou pedalar o velotrol, nem o jipe, nem nada que solicitasse esforço físico, desde sempre. Odeia chutar bola e correr é coisa rara. Logo, achamos bom apresentar as opções saudáveis que essa vida pode ter.

Experiência cotidiana: descobrimos que a bicicleta da avó estava um tanto grande e saímos para comprar uma menor.

PAUSA PARA MOMENTO A VIDA É UMA GRAÇA:

E daí que dentro da loja e rola o seguinte diálogo:

– Olha Isaac, tem do Hot Weels!

– Olha só, tem mesmo, mas eu não quero.

E me largou alí falando só, somente só…

DESPAUSA

Isaac ficou DOIS segundos em cima do modelo menor, nem tentou pedalar e a hora que desceu mandou ver a bicicletinha nas canelas da simpática vendedora.

Consequências para a Mamãe Avestruz: pedi desculpas, quase dei beijinho pra sarar nas canelas da moça. Olhei firme pra cria, que tentou me ganhar com sorrisinho e fiz o que minha mãe faria: firme e forte disse um vamos embora que congelaria toda Gothan City.

PAUSA PARA O MOMENTO: ESTOU CRIANDO UM MONSTRO, SOCORRO

Saímos dalí e sentamos para tomar um suco e conversar sobre o ocorrido enquanto fresco na memória da cria:

– Isaac, você viu o que aconteceu na loja?
– Uhumm
– Você acha que foi legal bater a bicicleta na perna da vendedora?
– Uhumm
– Olha pra mamãe, filho…

Ele até olhou, mas daquele jeito mesmo que você olhava pra sua mãe, na adolescência…

– O que aconteceu hoje foi muito feio. Papai e mamãe querem te dar uma bicicleta do tamanho certo pra você aprender a pedalar. Entendo que não seja a melhor coisa do mundo agora, mas depois você vai ver como é legal.
– Uhumm
– Isaac, você ouviu o que a mamãe falou?
– Não. Não ouvi nada.

DESPAUSA DEPOIS DOS SOLUCINHOS DESESPERADOS E EXAGERADOS

Pode rir. Eu já até estou rindo agora, mas me digam… que fase é essa?

assinatura-carol-v3 (3)

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade