PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Oba, férias! Mas fique de olho na segurança!
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Oba, férias! Mas fique de olho na segurança!

Oba, férias! Mas fique de olho na segurança!

19/10/2011
  413   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Confira as principais sugestões para evitar que as crianças se machuquem quando andam de patins ou skates e saiba algumas regras de trânsito no uso das bicicletas

Tempo de férias e as crianças aproveitam os horários de folga para ficar mais tempo ao ar livre. Entre as atividades preferidas está andar de patins e skates, principalmente entre os maiores e os adolescentes. Aqui vão algumas dicas de segurança:


  • Todos os skatistas e patinadores devem usar equipamentos de proteção. Capacetes são especialmente importantes para prevenir e minimizar os ferimentos na cabeça e as pessoas devem usar aqueles que atendam as normas de segurança aprovadas pelo INMETRO, que foram projetados especificamente para reduzir os efeitos dos riscos da patinação;

  • As comunidades devem continuar a desenvolver parques de skate, que são mais fáceis de serem monitorados para a segurança do que rampas e saltos construídos pelas crianças em casa ou nas ruas, onde passam veículos;

  • A patinação deve ser feita em caminhos apropriados ou em pistas, e não nas ruas e calçadas;

  • A maior parte dos acidentes ocorre devido às quedas, o que pode causar ferimentos ou fraturas. Pessoas inexperientes só devem andar rápido quando se sentirem confortáveis, mas o melhor é o treino na grama ou outras superfícies macias, que amortecem o tombo. Antes da prática, os skatistas devem pesquisar o terreno, observar os obstáculos, como buracos e pedras;

  • As crianças nunca devem andar de skates ou patinetes perto de ruas com tráfego intenso;

  • Os pequenos devem estar acompanhados de um adulto responsável, não é recomendável que patinem ou usem skates sozinhos. É importante que crianças menores de oito anos de idade sejam supervisionadas de perto, em todos os momentos.

Além dessas dicas, é interessante frisar que os adultos são o exemplo para as crianças. Por isso, o responsável deve mostrar a elas locais seguros para se andar de bicicleta. Confira algumas regras de trânsito para o uso das bikes que devem seguidas pelos mais velhos e ensinadas aos pequenos:

  • Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, a bicicleta é um veículo, não um brinquedo. Andar de bike, especialmente no trânsito, exige importante responsabilidade. Para a criança porém, ela será sempre uma diversão que exige muito cuidado, mesmo em locais seguros e afastados do trânsito;

  • Andar à direita dos veículos no sentido do trânsito, não contra ele;

  • Usar sinais de mão apropriados;

  • Respeitar os sinais de trânsito e parar em todos os sinais vermelhos;

  • Parar e olhar para a esquerda, direita e esquerda novamente antes de entrar em uma rua;

  • Olhar para trás e esperar o fluxo de carros que vem, antes de virar para a esquerda em um cruzamento;

  • Usar os refletores, o espelho e a buzina na bicicleta;

  • Não andar quando estiver escuro. Se for ao anoitecer ou de madrugada, é imprescindível usar material refletor na roupa, na bicicleta e nos demais equipamentos de segurança.


Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Revista Pediatrics junho 2011
Link:
http://bit.ly/qdHpEm

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade