PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Os bebês e a importância da linguagem
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Os bebês e a importância da linguagem

Os bebês e a importância da linguagem

11/06/2013
  1055   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Pais e responsáveis precisam se ater a este detalhe tão importante e influenciador no desenvolvimento infantil

bebês e a importância da linguagem

O ser humano é um ser de linguagem. Linguagem que já existe antes mesmo do nascimento. O bebê já é falado antes do nascer. Quando nasce, possui nome, características esperadas, desenvolvimento e futuro desenhados por seus pais e por sua família. Filhos de pais distraídos nascem com o estigma de que serão também distraídos e cabe a eles, no futuro, se descolarem dessas premissas.

E como o bebê se encaixa nisso?

O recém-nascido é falado por meio de seus pais, em especial, da figura materna, a quem cabe ler, interpretar e saber sobre seu filho, numa simbiose natural. É ela quem determina se o bebê está com fome, se está com sede, sono… Na maioria das vezes, em uma transferência de sentimentos, sensações, formas de agir e expectativas próprias. Se a mãe está com frio, o bebê é agasalhado, mesmo que a temperatura esteja em 42ºC. Esse relacionamento é importante e necessário, afinal, o filho nasce totalmente dependente de outro ser humano para ser cuidado.

Françoise Dolto, médica e psicanalista francesa, revolucionou a psicanálise infantil quando introduziu o trabalho psicanalítico com bebês, na relação mãe-bebê. Para ela, era fundamental conversar com o bebê e entender sua linguagem (no caso, corporal) para que as palavras passassem a dar sentido ao que ele estava vivendo, numa forma de inseri-lo no mundo. É por meio das palavras que o bebê encontrará seu lugar na sociedade e cabe à função materna vestir sua linguagem de palavras.

O bebê quer se comunicar, ele se comunica e, como a comunicação é uma via dupla, cabe a nós seguir seu ritmo para revesti-la de palavras e transformar a linguagem do bebê em simbólica. “Ouvi-lo” por intermédio da leitura maternal e, falar com ele, é fundamental para o desenvolvimento. É assim que ele vai ser inserido no mundo simbólico no qual foi concebido.

assinatura_leticia

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade