PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Vamos tomar sol?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Vamos tomar sol?

Vamos tomar sol?

27/04/2016
  727   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Esse ano, uma propaganda do sabão em pó OMO fez uma comparação entre o tempo de exposição ao sol realizado por um presidiário e o tempo realizado por nossas crianças. Atualmente as crianças ficam em média apenas 1 hora por dia em contato com a luz solar, enquanto um presidiário fica em média 2 hrs.

A vida moderna, agitada, cheia de tecnologia e, geralmente, enclausurada em salas de aula com luz artificial ou em seus quartos e salas de casa frente à TVs, joguinhos e computadores, afastam a cada dia mais nossas crianças do sol. Associado a isso, existe o medo das complicações provocadas pelo excesso da exposição solar. O que mais se houve é que para manter a saúde é preciso manter uma dieta equilibrada, fazer exercícios, ingerir alimentos saudáveis, beber muita água… Mas existe um componente maior ainda no processo de desenvolvimento e crescimento de nossas crianças: o sol. Michael Holick, endocrinologista, professor e pesquisador afirma que para que o corpo cresça saudável é preciso tomar sol.

Mas, qual é exatamente a importância dessa exposição ao sol? Em primeiro lugar, o sol nos dá, de graça e de maneira espetacular, a vitamina D: responsável pela manutenção do tecido ósseo, do sistema imunológico, diversas funções corporais, entre outras. A vitamina D pode reduzir o risco de muitas doenças ao longo da vida.

Crianças que fazem exercícios ao ar livre e que tem contato com o sol, são mais fortes e resistentes. São crianças mais alegres e dispostas. Além disso são crianças que sabem contemplar ao seu redor o que de mais belo a natureza nos oferece. Trabalhar ao ar livre permite que a orientação espacial seja potencializada, oferecendo as crianças melhores recursos no momento da utilização do espaço gráfico, isto é, nas atividades escolares.

Após contarem aos presidiários da prisão de Segurança máxima de Wabash, Indiana, E.U.A., que uma criança tinha menos tempo ao sol do que qualquer um deles, notou-se total decepção e tristeza em cada um. Para eles uma hora de sol por dia seria uma tristeza e loucura total. Crianças precisam se sujar, subir em árvores, correr ao ar livre, brincar no sol. A equipe de OMO questionou qual seriam seus maiores desejos naquele momento. A resposta de grande parte deles foi: levaria meu filho ao parque hoje!

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora é formada em Educação Física e Esporte. Possuí especialização em Psicomotricidade e Análise Existencial/Logoterapia com ênfase na educação. Trabalha com crianças e adolescentes há 20 anos atuando na área de avaliação, estimulação e reabilitação psicomotora. Praticante de esportes desde pequena divide seu tempo entre o trabalho, treinos de corrida e seus filhos Luca (14) e Pedro (7) que herdaram sua paixão pelos esportes.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade