PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Variações da vacinação contra coqueluche
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Variações da vacinação contra coqueluche

Variações da vacinação contra coqueluche

17/06/2013
  584   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Estudo faz um comparativo entre a versão DTP e DTPa

vacina e coqueluche

Nos últimos anos, com o aumento de coqueluche entre adolescentes e adultos jovens, tem se dado mais atenção ao calendário vacinal. A vacinação básica consiste na aplicação de 3 doses com intervalo de 60 dias (mínimo de 30 dias), a partir dos 2 meses de idade com dois reforços necessários realizados com a vacina DTP (difteria, tétano e pertussis). O primeiro reforço acontece aos 15 meses e o segundo aos 4 anos. A idade máxima para aplicação da DTP é de 6 anos, 11 meses e 29 dias.

A vacina chamada de acelular, mais moderna e com menos reação, foi introduzida no calendário oficial em 2003, mas seria interessante checar a vacina que seu filho tomou para adotar medidas preventivas.

Durante a década de 90, os EUA mudaram o conjunto de células na vacina contra a coqueluche (na difteria, tétano e pertussis de célula inteira há a combinação de vacina DTP) para a pertussis acelluar, combinadas a DTPa. O estudo, “A eficácia comparativa de vacinas Acellular Versus Whole-Cell contra coqueluche em adolescentes”, observou os indivíduos nascidos entre 1994 e 1999, que receberam quatro vacinas contendo pertussis nos dois primeiros anos de vida. Algumas pessoas receberam a vacina DTP e outros receberam DTPa.

Os autores observaram que, durante um surto de coqueluche em 2009 e 2010, os adolescentes que receberam a tríplice tiveram seis vezes maiores riscos de contrair a coqueluche devido à imunidade, que diminuiu em comparação àqueles que receberam a vacina DTP acelular.

Entre os adolescentes que receberam a tríplice acelular (DTPa) reforço que ela não superou a vantagem na proteção contra coqueluche associada com o recebimento anterior de vacinas DTP. Os autores concluem que a pesquisa no desenvolvimento de novas vacinas contra coqueluche, com maior segurança e imunidade de longa duração é garantida.

Resumindo, aqueles que nasceram em 2003 e foram vacinados no centro de saúde público (antes desse ano, os consultórios particulares já aplicavam a vacina acelular) e converse com o pediatra para orientação em relação à necessidade de reforço ou não.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte:Comparative Effectiveness of Acellular Versus Whole-Cell Pertussis Vaccines in Teenagers| Pediatrics

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade