PESQUISAR

Pesquisa Nossos Estudos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Nossos Estudos

Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Nossos Estudos

Pesquisa Clínica

  • O que é a Pesquisa Clínica?

Qualquer investigação em seres humanos, objetivando descobrir ou verificar os efeitos farmacodinâmicos, farmacológicos, clínicos e/ou outros efeitos de produto(s) e/ou identificar reações adversas ao produto(s) em investigação com o objetivo de averiguar sua segurança e/ou eficácia. (EMEA, 1997).

  • O que é cada fase?

Fase I: Estudos geralmente conduzidos em voluntários sadios com o principal objetivo de obter dados de segurança (observar os eventos adversos), potencial dose e farmacocinética (metabolização e excreção).

Fase II: Estudos com foco em obter dados de eficácia e dados adicionais de segurança e de confirmação da(s) dose(s) terapêutica(s).

Fase III: Estudos com o objetivo de obter dados adicionais para confirmar a segurança e a eficácia em diferentes tipos de população e dosagens, usando a combinação e/ou comparação com medicamento já aprovados no mercado (comparadores).

Fase IV: Estudos conduzidos após o medicamento ser aprovado pela Autoridade Regulatória para comercialização no país. Obtém dados mais amplos sobre segurança, eficácia (dose-resposta) e interações medicamentosas. Conduzidos em um grupo maior ainda de pacientes doentes, apenas para a indicação aprovada.

Pesquisas em parcerias com laboratórios farmacêuticos 

Para o desenvolvimento de novos medicamentos/ dispositivos médicos e diagnósticos. Saiba mais sobre estas pesquisas na seção “Estudos com medicamentos“.

  1. Infectologia

Estudos em andamento

  • 1 estudo de fase II, pacientes de 28 dias a <3 anos com diagnóstico de Vírus Sincicial Respiratório positivo. Vigência: 2019
  • 1 estudo de fase III, pacientes hospitalizados de 13 a 17 anos com diagnóstico de Influenza A. Vigência: 2018
  • 1 estudo de fase III, pacientes ambulatoriais de 13 a 17 anos com diagnóstico de Influenza A. Vigência: 2018

Estudos finalizados

  • Epidemiológico de diarreia aguda (2016)
  • Fase II de náuseas e vômitos(2014 – 2016)
  • Fase IV de diarreia aguda(2014 – 2015)
  • Fase III de asma (2013 – 2014)
  • Fase III de rinite alérgica (2012)
  • Fase IV de amigdalite (2011 – 2013)
  1. Hematologia

Estudos em andamento

  • 3 estudos de fase IIb/III, pacientes de 6 meses a <18 anos com diagnóstico de trombose venosa. Vigência: 2014, 2014 e 2015

Estudos finalizados

  • Fase II de tromboembolismo venoso (2015 – 2017)
  • Fase III de hemofilia (2016 – 2018)

 

  1. Cardiologia

Estudos em andamento

  • 1 estudo de fase II, pacientes de 2 a <18 anos com diagnóstico de doença cardíaca que exija prevenção de tromboembolismo. Vigência: 2018

Estudos finalizados – NA

 

  1. Endocrinologia

Estudos em andamento

  • 2 estudos de fase III, pacientes adolescentes de 12 a 17 anos recém diagnosticados com diabetes tipo II. Vigência: 2014

Estudos finalizados – NA

 

  1. Genética

Estudos em andamento

  • 1 estudo de fase III, pacientes menores de 18 anos com mucopolissacaridose tipo VII. Vigência: 2015

Estudos finalizados – NA

 

 

  1. Neurologia

Estudos em andamento

  • 2 estudos em fase III, pacientes de ≥ 1 mês e < 4 anos com diagnóstico de epilepsia com crises de início parcial. Vigência: 2016

Estudos finalizados – NA

 

  1. Nefrologia

Estudos em andamento

  • 1 estudo de fase III, pacientes de 6 anos a <18 com hipertensão arterial secundária.

Estudos finalizados

NA

 

  1. Unidade de terapia intensiva (UTI)

Estudos em andamento

NA

Estudos finalizados

  • 1 estudo de fase IIIb, pacientes de 1 mês e < 18 anos com candidíase invasiva (2017 – 2018)
  • 1 estudo de fase IIa, pacientes de 0 a 3 meses com candidíase neonatal (2015 – 2017)

 

Projetos Institucionais

Institucionais: Desde o início das atividades do Centro de Pesquisa em 2011 a instituição tem sido campo para pesquisadores internos e externos. Os objetivos das propostas de projetos recebidas envolvem além do estudo de condições que afetam a população pediátrica nas diversas especialidades, o estudo de características e fatores de risco relacionados aos familiares dos pacientes e funcionários que atuam na instituição. Para nortear as pesquisas da instituição foram criados 06 Núcleos de Pesquisa Institucional focados em áreas prioritárias para o desenvolvimento de pesquisas em saúde infantil. Saiba mais sobre as pesquisas realizadas por estes núcleos na seção de “Núcleos de Pesquisa”.

  1. “Novos defeitos genético-moleculares relacionados a deficiência física, deficiência intelectual e transtornos do espectro autista associados a imunodeficiências congênitas.”, com o objetivo de detectar precocemente por meio de triagem neonatal feita com uma tecnologia diagnóstica inovadora no Brasil, pacientes portadores de síndromes genéticas associadas a imunodeficiências primárias, a fim de propor orientações terapêuticas visando o melhor prognóstico dos pacientes identificados, através de parcerias com hospitais e maternidades de todo o Brasil.

Este estudo acontece em parceria com o Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo- ICB/ USP.

PRONAS – Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD). Vigência: junho/2016 a junho/2020.

 

  1. “Detecção e intervenção precoce de Transtorno do Espectro Autista (TEA) em crianças de zero a quatro anos em situação de vulnerabilidade social, através de rastreio ocular (eye tracking) e método da Análise Aplicada do Comportamento (ABA)”. O objetivo principal é utilizar a técnica do Eye Tracking associada a escala CARS para detectar precocemente sinais de TEA e, a seguir, intervir precocemente nas crianças com confirmação do diagnóstico, por meio do método de Análise Aplicada do Comportamento (ABA) com enfoque no treino de atenção visual e atenção compartilhada.

PRONAS – Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD). Vigência: A ser definido.

 

  1. Impacto da creche sobre crianças em território vulnerável”. Esse estudo tem como objetivo verificar, através de indicadores de saúde nutricional e de desenvolvimento psíquico, o efeito de sua frequência em creche, em crianças de quatro anos de idade, vivendo em território vulnerável.

Este estudo acontece em parceria com a fundação Tide Setúbal. Vigência: março/2018 a maio/2019 

 

Projetos Especiais

O que é PRONAS/PCD?

O Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD), instituído pela Lei nº 12.715/2012, foi desenvolvido para incentivar ações e serviços desenvolvidos por entidades, associações e fundações privadas sem fins lucrativos, que atuam no campo da pessoa com deficiência.  O intuito é ampliar a oferta de serviços e expandir a prestação de serviços médico-assistenciais; apoiar a formação, o treinamento e o aperfeiçoamento de recursos humanos – em todos os níveis; e realizar pesquisas clínicas, epidemiológicas, experimentais e socioantropológicas.

Projeto Triagem Neonatal

Novos defeitos genético-moleculares relacionados a deficiência física, deficiência intelectual e transtornos do espectro autista associados a imunodeficiências congênitas

Projeto incentivado pelo PRONAS, sob a coordenação da Dra. Fátima Rodrigues Fernandes e  suporte científico do Prof. Dr. Antonio Condino Neto do ICB-USP. O projeto tem como objetivo detectar, precocemente, através de triagem neonatal, e diagnóstico especializado pós-natal, indivíduos portadores de síndromes genéticas que incluem deficiência física, intelectual, malformações e transtornos do espectro autista associadas com imunodeficiências primárias e aumentar o diagnóstico destas síndromes, por meio de ensaios funcionais e genéticos que não são oferecidos pelo serviço público de saúde no país, aprimorando assim, o prognóstico e tratamento destas crianças.

O projeto tem como meta analisar 24.000 amostras de crianças oriundas de todo Brasil em parceria com diversas maternidades durante 24 meses.

Com esse estudo pretendemos contribuir para o avanço do conhecimento sobre síndromes genéticas investigando sua incidência, prevalência, espectro clínico, mecanismos patológicos e defeitos genético-moleculares, trazendo perspectivas para o desenho de novas terapias dessas doenças. Num país grande, populoso, altamente miscigenado como o Brasil, há pouca ou nenhuma informação sobre este assunto.

 

Projeto rastreio ocular (eye tracking)

Detecção e intervenção precoce de Transtorno do Espectro Autista (TEA) em crianças de zero a quatro anos em situação de vulnerabilidade social, através de rastreio ocular (eye tracking) e método da Análise Aplicada do Comportamento (ABA).

Foi aprovado recentemente, um novo projeto incentivado pelo PRONAS – Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD) – Ministério da Saúde intitulado: “Detecção e intervenção precoce de Transtorno do Espectro Autista (TEA) em crianças de zero a quatro anos em situação de vulnerabilidade social, através de rastreio ocular (eye tracking) e método da Análise Aplicada do Comportamento (ABA)”.

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição complexa do neurodesenvolvimento, que compromete, em diferentes níveis, duas áreas: comunicação social e comportamento. Diagnosticar o atraso do neurodesenvolvimento, incluindo crianças com TEA, é um desafio na primeira infância, pois, os sinais são mais sutis nesta fase.

Neste estudo, serão avaliadas 1055 crianças de zero a quatro anos frequentadoras de sete Centros de Educação Infantil (CEIs) da Zona Sul de São Paulo, que passarão por uma avaliação médica e psicológica.  As crianças que forem identificadas com TEA serão monitoradas durante oito meses, e ao mesmo tempo, os educadores serão treinados para identificar e acompanhar alunos com suspeita deste diagnóstico.

Desta forma, a natureza inovadora do nosso projeto alinha tecnologia de alta sensibilidade para a educação continuada das famílias, cuidadores e capacitação de educadores, além de proporcionar o diagnóstico precoce dessas crianças.

Patrocinadores:

 

NOSSAS INICIATIVAS
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade