PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A autoridade paterna
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A autoridade paterna

A autoridade paterna

02/06/2016
  1067   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Uma das maiores dificuldades de muitos educadores é mostrar aos pais a necessidade de mudança de estratégia ou de abandonarem a disciplina adotada com os filhos, que por tantas vezes é ineficaz. Mesmo com práticas que estão saturadas, ainda assim, algumas crianças ou os adolescentes, em geral assustam-se ao ouvirem:

_ ‘’Vou contar para seu pai! ’’

Esta frase tão comum exerce certo poder, que muitas vezes pode ser um disparador para mudanças de atitudes, tanto do filho, quanto do pai.

Tudo isso é positivo para a Educação, pois as crianças necessitam do masculino para ir para o mundo, necessitam da ordem, do limite. Para Erich Neumann, psicólogo e um dos mais talentosos alunos de Jung,

‘’ O pai faz as leis. ’’

Isto significa que a figura paterna é o despertar da consciência e da independência, para que a criança construa gradualmente sua maneira de gerir e organizar sua vida. Não tenha medo de ensinar seu filho a entender o que é a autoridade paterna.

A fim de conduzir os conflitos e usar de estratégias mais objetivas, sugiro para os pais:

– Concentre-se no comportamento de seu filho. Não leve o comportamento dele para o lado pessoal, nem sempre as atitudes dos filhos são para atingir os pais.

– Evite o não automático, negando sem saber sequer do que se trata. Assuma uma atitude serena frente situações tensas.

– Se inicialmente a mudança de atitude não der certo, insista, continue dedicando-se.

– Não repita a advertência. É importante manter sua palavra e igualmente que seu filho saiba que você a sustenta.

– Se as notas não foram boas, programe roteiros de estudos e o auxilie, procurando saber quais suas dificuldades e no que você pode ajudar.

– Evite emprego de críticas, valorize as qualidades de seu filho.

– Presentes e recompensas levam a criança à insegurança.  

– Use sempre de voz serena e fale com firmeza, mas com voz baixa.

– Valorize seu filho!

– Seja presente em sua vida!

– Interesse-se por suas coisas, saiam juntos, divirtam-se!

Para melhorar a relação e o contato com os pequenos e adolescentes, use dos princípios de disciplina, eles permitem relações mais tranquilas de modo a preparar os filhos a não temerem a autoridade. Quando o adulto sabe manejar os pequenos com serenidade, compreende a criança e consequentemente, se auto-observa em sua função paterna, certamente haverá menos culpa a ambos os lados e obterão um controle maior sobre a vida da criança e melhorarão o relacionamento como um todo.

Liliam Abrão Martins

Liliam Abrão Martins

Liliam Abrão Martins, é professora de Ed. Fundamental I, Educação Infantil, Psicopedagoga e Analista Junguiana. Rua Mairinque, 171 – Vila Mariana 04037-020 – São Paulo/SP Tel: (11) 2577-5433

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade