PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Compreendendo o humor das mães
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Compreendendo o humor das mães

Compreendendo o humor das mães

24/04/2015
  407   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

humor

Se você se tornou mãe e anda com humor meio estranho, que hora faz você rir sem motivo ou chorar por causa de uma propaganda na TV, saiba que os americanos chamam isto de “baby blues”, problema que afeta de 70 a 80% de todas as novas mães.

É difícil dizer exatamente o que faz com que o baby blues apareça, mas há uma explicação médica para, pelo menos, alguns dos sintomas: as alterações hormonais do corpo pelas quais a nova mãe está passando.

Quando uma mulher está grávida, seu corpo produz hormônios femininos (estrogênio e progesterona) em quantidades muito maiores. Mas, nas primeiras 24 horas após o parto, esses níveis hormonais caem rapidamente de volta para os seus níveis anteriores à gravidez. Os pesquisadores acreditam que essas mudanças hormonais súbitas podem levar à depressão de uma maneira similar às alterações hormonais do período menstrual.

Em algumas mulheres outra possível causa destes sintomas após a gravidez é o hormônio da tireoide, que são produzidos pela glândula localizada no pescoço. Esses hormônios ajudam a regular a forma como o corpo usa a energia. Os baixos níveis de tireoide podem causar humor deprimido ou irritado, problemas com o sono e concentração e ganho de peso.

Combinando essas mudanças em seu corpo com as mudanças drásticas como os sentimentos de estar sobrecarregado com novas responsabilidades, as pressões de ser uma grande mãe, um sentimento de perda em relação à vida que tinha antes, chegamos à receita para o chamado baby blues.

Para a maioria das mulheres, o baby blues é temporário e, geralmente desaparece depois de alguns dias ou uma semana após o parto. Os sintomas geralmente não são graves e existem maneiras bastantes simples e eficazes para lidar com eles:

 

  1. Horas de sono: Tire cochilos quando o bebê dorme.
  2. Tire a pressão de si mesmo: Você não pode fazer tudo sozinha. Faça o que puder e deixe o resto para mais tarde ou deixe para os outros (pai, avós, amigos).
  3. Evite passar muito tempo sozinha.
  4. Obtenha ajuda e apoio de seu cônjuge ou companheiro, membros da família e amigos.
  5. Junte-se a um grupo de apoio para as novas mães.
  6. Faça exercícios físicos.

 

Para uma em cada 10 mães a depressão pós-parto que pode se agravar o suficiente para tornar difícil cuidar de seu bebê ou de si mesma. Ela pode durar de semanas a meses e geralmente requer aconselhamento e tratamento.

Estas mães que se encontram sobrecarregadas, frustradas, ansiosas, persistentemente chorosas ou deprimidas e incapaz de explicar ou entender esses sentimentos não devem sofrer em silêncio ou ter vergonha.

Elas devem conversar com seus médicos imediatamente e obter o apoio e, em alguns casos, o tratamento, que precisam.

Os sintomas da depressão pós-parto podem variar de leve a grave e podem incluir os mesmos sintomas dos babies blues, e ainda:

 

  1. Sentimento de culpa, inutilidade, ou ansiedade
  2. Falta de energia ou motivação
  3. Dormir demais ou muito pouco
  4. Dificuldade para se concentrar, de lembrar das coisas ou de tomar decisões
  5. Perda de interesse em atividades que normalmente desfruta
  6. Isolamento de amigos e familiares

 

Para as mães com depressão pós-parto existem tratamentos eficazes. Na maioria das vezes o tratamento inclui uma combinação de medicamentos antidepressivos, terapia da conversa e terapia de grupo de apoio. Alguns antidepressivos podem representar riscos para a saúde ou para amamentar bebês e, por isso, é importante discutir isso com cuidado com o seu médico antes de tomar medicamentos antidepressivos.

Para cada mil novas mães, uma enfrentará uma condição ainda mais grave: a psicose pós-parto. Os sintomas geralmente começam durante as primeiras seis semanas após o parto e podem incluir:

  1. Rápidas alterações de humor
  2. Delírios
  3. Confusão
  4. Alucinações
  5. Distúrbios do sono
  6. Pensamentos obsessivos sobre o bebê

 

Mulheres que foram diagnosticadas com transtorno bipolar ou uma condição chamada de transtorno esquizoafetivo tem maior risco de contrair psicose pós-parto. Elas requerem atenção médica imediata muitas vezes incluindo a hospitalização. Sempre que algum destes sintomas estiver presente é muito importante que falar com um profissional de saúde o mais rápido possível.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Crianças Saudáveis ​​Magazine, Verão 2007

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o atendimento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o seu pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • thais disse:

    nossa nao foi so o meu humor, o meu corpo tambem mudou de tal forma que eu nao voltei ao o que eu era antes. Sera que eu posdo tomar remedio pra emagrecer ou passa pro leite ?? minha filha tem sete meses e ela ja come comidinha, frutas, sucos de frutas, mais ainda pega peito ..

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade