PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Educação terceirizada
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Educação terceirizada

Educação terceirizada

24/09/2015
  351   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

educação

 

Muitas pessoas pensam que valores estão atrelados simplesmente ao conceito de religião. Eu diria que vai mais além, pois correspondem a outras maneiras de organização, como: educação, cultura, regras e condutas que fazem parte das relações humanas. Podemos definir que valores são os princípios, as formas que as pessoas, ou as famílias, escolhem para interagir com o outro.

Esta semana soube de um caso bastante interessante no que diz respeito à transmissão de valores e como gosto de refletir, pensei em escrever sobre este tema que é tão desprezado.

Uma avó, preocupada com os afetos de seus netos, resolveu ensiná-los o que é pedir bênção. Um deles lhe perguntou se tal expressão era de outra língua. Curioso não é?

O fato é que cada família define como seus valores o que considera relevante nas relações, seja de qualquer ordem: conceitos de respeito, de crenças, atitudes de afeto, atitudes políticas, conceitos de amizade, enfim, os diversos modos e olhares de cada um que afetam o dia a dia.

Nos dias de hoje, com a extensão dos horários de trabalho dos pais, ou, devido as diferentes necessidades econômicas, fica ainda maior a responsabilidade da escola, pois, muitos responsáveis, se eximem da função de educar seus filhos e a projeta nos professores. O comportamento dos pais, entretanto, revela aos filhos seus valores, que a partir da convivência passam a reproduzi-los inconscientemente. A escola por sua vez, pode e deve relembrar aos alunos de algumas regras e princípios éticos, mas estes já devem fazer parte da ‘’mochila’’, do material consciente da criança trazido de casa.

Mesmo havendo cumplicidade entre escola e família, pois, a escola é a segunda instituição a receber a criança, é fundamental que os pais tenham claro que a qualidade da relação com seu filho é de sua total responsabilidade e não cabe terceirizá-la à escola.

Segundo Jung em seu livro ‘’ O desenvolvimento da personalidade’’ a criança armazena um conjunto de experiências em sua estrutura ainda inconsciente, para que futuramente a perceba como proveniente de alguma entidade, os pais ou o professor. Por isso, a escola é corresponsável pelo desenvolvimento dos jovens, há uma correspondência direta entre a psique deste adulto e a da criança.  Professor forma consciências!

Para terminar este texto, desejo de verdade que os pais também reflitam a respeito de valores, de conceitos de amizade, gentileza, solidariedade, responsabilidade e outros procedimentos da vida, porque o professor participa da vida acadêmica, social e cultural do aluno, entretanto, é na família ou na relação pai e filho, ou mãe e filho, que se constitui verdadeiramente a Educação.

Pense nisso!

assinatura_Liliam

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade