PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O Sono e a atividade física
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O Sono e a atividade física

O Sono e a atividade física

18/08/2016
  1810   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Será que dormir bem afeta diretamente o exercício físico? Ou será que a prática de exercício constante nos ocasiona excelentes noites de sono?

Uma pesquisa realizada no Urho Kekkonen Institute for Health Promotion Research, na Finlândia, mostrou que um terço de seus entrevistados afirmaram que o exercício físico impactava positivamente a qualidade do sono. Segundo os entrevistados, a facilidade para adormecer, a profundidade do sono, a sensação de bem-estar e disposição aumentavam com a prática regular de exercícios moderados. A American College of Sports Medicine possui em sua lista de benefícios trazidos pela prática da atividade física, a melhora da qualidade do sono. Para os especialistas da Escola Paulista de Medicina, as pesquisas apontam o exercício físico como um regulador de temperatura corporal e dos neurotransmissores de nosso cérebro. A prática constante de exercícios pode minimizar inclusive eventuais distúrbios do sono. Quer combater a insônia? Fácil, uma horinha de treino por dia, dizem os pesquisadores japoneses.

Mas, e o sono, também ajuda na pratica do exercício físico?

Durante sono ocorre a recuperação muscular e celular. O corpo se reorganiza, promovendo ganhos e nos deixando mais fortes. Se o momento de descanso for insuficiente ou de má qualidade podemos ter queda nos nossos treinos e até mesmo entrar em overtraining (síndrome de supertreinamento). Portanto 8 horas de sono por dia é essencial para quem pratica atividades físicas. Entre tantos benefícios de uma boa noite de sono podemos citar: a produção do hormônio de crescimento (estimula o crescimento e a recuperação muscular, construção óssea e queima de gordura); processamento de informações (é durante o sono que o cérebro “armazena” as informações recebidas durante o dia); estabilidade emocional (noites mal dormidas afetam diretamente o humor e atrapalham na prática de atividades físicas, causando a sensação de que o exercício está mais pesado).

Portanto, é fácil perceber quando nossas crianças estão dormindo o suficiente e com qualidade. Crianças que possuem energia, praticam atividade física, ficam em contato com o ar livre e a natureza, certamente dormirão melhor. Ao mesmo tempo, crianças que possuem uma boa qualidade de sono são capazes de brincar, se divertir e praticar exercícios físicos com muito mais eficácia e alegria.

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora é formada em Educação Física e Esporte. Possuí especialização em Psicomotricidade e Análise Existencial/Logoterapia com ênfase na educação. Trabalha com crianças e adolescentes há 20 anos atuando na área de avaliação, estimulação e reabilitação psicomotora. Praticante de esportes desde pequena divide seu tempo entre o trabalho, treinos de corrida e seus filhos Luca (14) e Pedro (7) que herdaram sua paixão pelos esportes.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade