PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A internet e sua família
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A internet e sua família

A internet e sua família

03/09/2014
  6058   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A internet se tornou, na atualidade, uma janela para o mundo. Lá você pode viajar pelas mais diferentes matérias, informações, imagens e filmes. Tudo parece maravilhoso, mas também é uma fonte de preocupação para os pais que perdem um pouco do que os filhos estão vendo e com quem estão conversando.

Na maioria das vezes, nossos filhos entendem mais deste mundo de informática do que os pais e, por isto, precisamos estar atentos ao que eles estão fazendo. Aqui colocamos algumas das sugestões e orientações da Academia Americana de Pediatria (AAP) para quando você e sua família navegarem na web. É importante que tenha em mente:

1-   Informações online geralmente não são privadas.

2-   Pessoas online nem sempre são quem dizem que são.

3-   Qualquer um pode colocar informações online.

4-   Você não pode confiar em tudo que você lê online.

5-   Você e sua família podem inesperadamente e sem querer encontrar material na web que seja ofensivo, pornográfico (incluindo a pornografia infantil), obsceno, violento ou racista.

É importante ter um conjunto de regras claras pra quando seus filhos usarem a internet. Certifique-se que eles compreendem o que você considera apropriado e quais áreas estão fora dos limites. Deixe-os saber que as regras são para sua segurança. A seguir estão algumas dicas que você pode ensinar seus filhos sobre segurança online:

1-    NUNCA forneça informações pessoais, a menos que os pais digam que é OK. Isto inclui o seu nome, endereço, número de telefone, idade, nome da escola ou localização ou nomes de amigos.

2-   NUNCA compartilhe senhas, mesmo com os amigos.

3-    NUNCA encontre um amigo que você só conhece pela internet em pessoa, a menos que o pai ou a mãe digam que é OK. Neste caso, é melhor se um pai for junto e se reunir em um lugar público. (Adolescentes mais velhos que podem optar por não dizer aos pais e ir sozinhos, devem pelo menos ir com um amigo e se encontrarem em um lugar público.)

4-    NUNCA responda a mensagens que fazem você se sentir desconfortável ou ferem seus sentimentos. Ignore estas mensagens, pare toda a comunicação e diga a um dos pais ou outro adulto de sua confiança imediatamente.

O que você pode ensinar a seus filhos sobre como devem agir na internet:

1-   NUNCA dizer algo online que você não diria a alguém em pessoa. Bullying é errado se é feito pessoalmente ou online.

2-   NUNCA utilize a internet para fazer alguém ficar mal.

3-   NUNCA plagiar. É ilegal copiar informações online e dizer que você escreveu.

Navegar na web não deve tomar o lugar de outras atividades importantes, incluindo o dever de casa, brincar e jogar ou passar o tempo com os amigos. A Academia Americana de Pediatria recomenda limitar o tempo total de tela para não mais do que 1 a 2 horas por dia para crianças com mais de 2 anos. Um despertador ou cronômetro pode ajudar você a manter o controle do tempo.

Diretrizes com base na idade para uso da internet pelas crianças:

Até 10 anos de idade

As crianças desta idade precisam de supervisão e monitoramento para garantir que não estão expostas a materiais inadequados. Os pais devem usar ferramentas de segurança na internet para limitar o acesso ao conteúdo, sites e atividades, e participar ativamente na utilização da internet de seus filhos.

11 a 14 anos

As crianças desta idade são mais espertas sobre a sua experiência de internet; no entanto, eles ainda precisam de supervisão e acompanhamento para garantir que não estão expostos a materiais inadequados. Ferramentas de segurança estão disponíveis e podem limitar o acesso a conteúdo e sites, além de fornecer um relatório de atividades na internet. Crianças nessa idade também precisam entender que informações pessoais não devem ser fornecidas na web.

15 a 18 anos

Crianças nessa idade devem ter quase nenhuma limitação em conteúdo, sites ou atividades. Adolescentes são mais espertos sobre a sua experiência de internet; no entanto, eles ainda precisam de pais para definir diretrizes de segurança apropriadas. Os pais devem estar disponíveis para ajudar seus adolescentes a entenderem mensagens impróprias e evitar situações de risco. Os pais podem precisar lembrar adolescentes que informações pessoais não devem ser dadas na internet.

Leia também: Desafios (jogos) perigosos da internet: entendendo o seu apelo para jovens e crianças

Fonte:  A Internet e sua família (Copyright © 2006 Academia Americana de Pediatria)

Atualizado em 20 de junho de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.