PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Desafios (jogos) perigosos da internet: entendendo o seu apelo para jovens e crianças
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Desafios (jogos) perigosos da internet: entendendo o seu apelo para jovens e crianças

Desafios (jogos) perigosos da internet: entendendo o seu apelo para jovens e crianças

16/08/2022
  157   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Os desafios da Internet podem ser fascinantes para os adolescentes, que podem ser impulsivos e atraídos por comportamentos que chamam a atenção – especialmente nas mídias sociais. Alguns deles, como o do balde de gelo ou do manequim, podem ser atividades divertidas e positivas. Mas outros desafios que surgem na internet são perigosos e podem levar a danos permanentes.

Você já deve ter ouvido falar de tendências de mídia social, como os desafios do Tide pod, Benadryl, jogo de asfixia, “apagão”, rasteira, sal e gelo, sem falar no famoso baleia azul. Tudo isso pode causar ferimentos graves e envenenamentos, e alguns podem até ser fatais. Estar ciente desses desafios e entender por que eles atraem os adolescentes é importante para todos os pais.

Por que os adolescentes são suscetíveis aos desafios das mídias sociais?

Os cérebros dos adolescentes ainda estão em desenvolvimento. A parte do cérebro que lida com o pensamento racional, o córtex pré-frontal, não está totalmente desenvolvida até meados dos anos 20. Isso significa que os adolescentes são, naturalmente, mais impulsivos e propensos a agir antes de pensar em todas as ramificações e consequências de suas ações.

Eles também estão em fase de autoafirmação perante ao grupo e, muitas vezes, têm necessidade de mostrar que são capazes de fazer algo, de serem corajosos, audaciosos ou simplesmente de serem diferentes e se destacarem.

A mídia social recompensa o comportamento ultrajante e, quanto mais ultrajante, maior o direito de se gabar. É um ambiente de movimento rápido e impulsivo, e o medo de perder é real para os adolescentes. Esse ambiente contribui para a capacidade subdesenvolvida de um adolescente de pensar em suas ações e possíveis consequências.

As crianças ou os jovens não vão necessariamente parar para considerar que o sabão em pó é um veneno que pode queimar suas gargantas e danificar suas vias aéreas. Ou que o uso indevido de medicamentos como a difenidramina (Benadryl) pode causar sérios problemas cardíacos, convulsões e coma. O que eles vão focar é que um garoto popular na sala de aula fez isso e recebeu centenas de curtidas e comentários.

Como pai ou mãe, você pode ajudar seu filho adolescente a construir músculos intelectuais. Veja como:

Tome a iniciativa para uma conversa, pergunte aos seus filhos sobre os maiores desafios que eles ouviram em seu círculo de amigos. Pergunte, com calma e sem julgamentos, o que eles pensam sobre esses desafios. Fale sobre o que pode acontecer com alguém que aceita o desafio. Você ainda pode exercer suas opções parentais, como limitar o contato com certas crianças ou tornar atividades específicas fora dos limites.

Se seu filho demonstrar interesse em participar de um desafio, use perguntas abertas para incentivá-lo a pensar em cada etapa do desafio. Peça-lhes que considerem o pior resultado. Peça-lhes que pensem por que fariam isso e se vale a pena. As curtidas e comentários valem horas no pronto-socorro?

Certifique-se quem são os “amigos” dos seus filhos nas redes sociais. Manter contato em suas plataformas de comunicação preferidas pode ajudá-lo a mantê-lo informado com o que acontece no dia a dia deles. Assista suas histórias para obter pistas sobre o que está acontecendo na escola e com seus amigos. Deixe seus filhos saberem que se você pagar pelo dispositivo e pela rede sem fio, eles terão que fazer amizade com você em troca.

Às vezes, as crianças estão mais dispostas a falar sobre seus colegas do que sobre si mesmas. Fazer perguntas sobre tendências escolares, amigos e modas pode render mais respostas do que perguntas diretas sobre suas próprias atividades. Não importa o que aconteça, é importante manter as linhas de comunicação abertas e evitar julgamentos. Em vez disso, discuta com calma os perigos dessas escolhas.

Enquanto crianças e adolescentes estão crescendo, aprendendo mais sobre a vida, amigos e o seu lugar no mundo, lembre-se de que seus cérebros ainda estão se desenvolvendo. Como pai, você pode ajudar a nutrir esse crescimento e ajudar seus adolescentes a desenvolverem um pensamento racional e ponderado – habilidades que continuarão a ser importantes nos próximos anos.

 

Fontes:

Council on Communications and Media (Copyright © 2018 American Academy of Pediatrics)

https://www.mcafee.com/blogs/pt-br/family-safety/atualizacao-do-tiktok-desafios-virais-perigosos-e-restricoes-de-idade/

https://www.vittude.com/blog/baleia-azul/

 

Saiba mais:

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/desafio-da-canela-a-nova-brincadeira-das-redes-sociais/

https://institutopensi.org.br/midias-sociais-atencao-a-publicidade-na-internet/

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/o-perigo-da-meleca-louca-ou-geleca/

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.