PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Aniversário de 15 anos na UTI: Cássia “aprontou” e… CURTIU!
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Aniversário de 15 anos na UTI: Cássia “aprontou” e… CURTIU!

Aniversário de 15 anos na UTI: Cássia “aprontou” e… CURTIU!

18/06/2014
  974   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

cassia
Escrevo em primeira pessoa, com nome e sobrenome, obviamente com a autorização dos pais de Cássia, Valéria e Willians, a quem agradeço a generosidade de compartilharem sua história.

 

Há mais de três meses no Sabará, Valéria esperava ansiosamente o dia CINCO de MAIO.

Para este dia muitos desejos foram secretamente projetados, muitos sonhos foram gestados e muito trabalho: preparava-se no corpo e na alma a esperada da festa de 15 anos de Cássia. O dia de seu aniversário era o limiar para todos os sonhos de alta hospitalar, quando então organizariam a festa, com bolo e parabéns bem barulhento, com príncipe e princesa, que sempre fizeram a alegria desta pequena moça, portadora de uma síndrome que nunca se apresentou pelo nome.

Mas Cássia “aprontou”, como Valéria sempre diz. Na última semana de abril não dava sinais de melhora significativa. Parâmetros alterados, os rins ameaçando dar trabalho, o desânimo tomou conta de todos. A equipe tentava animar a família, imaginando a festa ali, na UTI, com o que fosse possível. Os dias passaram e no dia quatro de maio Cássia continuava intubada, na luta para debelar um grande processo infeccioso.

Amanhece dia cinco. Dia do aniversário. Cássia um pouco mais acordada e ativa, parâmetros bons, quadro mais estável e… extubação marcada para as 13h!!!!

Valéria relata: “e foi a nossa alegria, ela sem tubo, respirando sozinha e consciente. Peço ao meu marido Willians que traga o bolo e o irmão tão amado. Cássia curtiu o quarto enfeitado com bexigas e o carinho da equipe. Cantamos parabéns do jeito que ela gosta com toda alegria e bagunça… Cássia abriu os olhos e curtiu tudo. Quando o cantar acabou, ela derrubou uma lágrima e a partir daquele momento começou a descompensar e precisou ser reintubada….”

Seguramente, Cassia curtiu seu aniversário, como conta Valéria. Talvez menos do que a família sonhou, mas muito mais do que todos esperavam nas últimas semanas.

No dicionário, curtir, na linguagem informal, pode ser:

4. Queimar a pele por exposição ao sol ou ao vento.

5. Suportar sofrimento ou situação penosa. = .AGUENTAR, PADECER, SOFRER

6. Tornar mais forte, mais resistente. = CALEJAR, ENDURECER

ou

7. Sentir prazer ou satisfação; gostar muito de = APRECIAR, DELEITAR-SE, DESFRUTAR
É inegável que Cassia CURTIU seu aniversário. Cantou Parabéns e derramou uma lágrima. Uma imagem forte e delicada, esperançosa e triste, uma imagem de quem está na luta, quem padece, endurece e aprecia.

Curtiram Valéria e sua família: “É um misto de sentimentos… feliz e agradecida a Deus por ter permitido e nos presenteado em deixa-la acordar e participar de sua singela festinha, respirando sozinha e consciente. Um tanto triste pela descompensação. Mas ela é guerreira e vencerá todos os obstáculos.”

Padece, endurece a apreciaaguenta, caleja e desfruta. Quem de nós pensa na vida conjugando simultaneamente todos estes aspectos?

Respondo de pronto, com orgulho e gratidão, ao conhecer esta e outras tantas famílias. Quem conjuga todos estes aspectos da vida, a encara com BRIO, ou seja:

1. Sentimento que induz a cumprir o dever ou a fazer algo com perfeição ou sentido de responsabilidade.

2. Generosidade.

3. Valor.

4. Garbo, elegância.

5. Fogo, vivacidade
O que mais há para acrescentar?

 

Gláucia Faria da Silva e Valéria

Pulicado por Instituto Pensi

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Renata Pascuotti disse:

    Dr. Gláucia!!! Que história linda… me emocionei…
    Você que sempre tão atenciosa com nós “mãezinhas”… sempre me ajudou muito no período que passei no sabará com meu príncipe… Parabéns por seu lindo trabalho!

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade