PESQUISAR

Residência Médica
Residência Médica
Entenda de que seu filho quer brincar
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Entenda de que seu filho quer brincar

Entenda de que seu filho quer brincar

01/06/2015
  100   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Untitled

Logo nos primeiros textos aqui para o Saúde Infantil escrevi sobre como planejar o momento das brincadeiras ajuda muito na hora que seu filho diz: “Vamos brincar?”. Pois hoje eu vou um pouco mais além e quero falar com você sobre estudar seus filhos.

Opa! Já não basta ter estudado na escola, em cursos e agora esta?. (risos) Pois é. Estudar seu filho significa observá-lo e mentalmente ou no papel anotar o que você percebe sobre o jeito dele, suas preferências e o que não gosta.

Brincar não só e divertido, mas ajuda no desenvolvimento da criança. Porém, isso acontece somente quando a brincadeira é um prazer em lugar de ser uma chatice. E quando somos adultos tendemos a nos esquecer que haviam brincadeiras que a gente também não gostava quando criança seja qual for o motivo. Daí, na hora de brincar com nossos filhos, optamos pelo “o que todo mundo faz”, “o que está na moda”, “o que eu vi outras crianças fazendo”. Talvez por isso eles não queriam brincar conosco!

Então, a dica de hoje é parar de vez em quando e prestar atenção no seu filho. Fiz uma listinha com 10 perguntas que podem ajudar a descrever o perfil de brincadeiras das crianças. Adicione quantas mais você achar importante:

  1. Com o que estão brincando ultimamente?
  2. Qual a brincadeira preferida?
  3. Ele tem muitos brinquedos de um tipo só (eletrônicos, só educativos, só jogos)?
  4. Do que eles falam/conversam (com você ou entre amigos ou sozinho)?
  5. Eles se sentam para jogar ou preferem ficar correndo por aí?
  6. Eles contam histórias?
  7. Eles conseguem ficar focados em uma brincadeira ou costumam “pular” de uma para outra?
  8. Eles criam coisas, brincadeiras do nada ou tendem a encenar o que está acontecendo ao seu redor?
  9. Eles são do tipo construtores ou destruidores?
  10. Eles são do tipo artistas, cientistas, esportistas?

Algo importante: não há certo ou errado, característica melhor ou pior nas respostas destas perguntas. Elas são somente um apoio para você estudar seu filho e propor brincadeiras que ambos gostem. Assim, o momento entre vocês será legal e com certeza fará parte de uma rotina lembrada com muito carinho no futuro.

 

Patrícia Marinho

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740)Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP.Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

NOSSAS INICIATIVAS
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade