PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O estresse tóxico e seus efeitos ao longo da vida
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O estresse tóxico e seus efeitos ao longo da vida

O estresse tóxico e seus efeitos ao longo da vida

24/02/2014
  681   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Centro de Desenvolvimento Infantil de Harvard

Há cerca de um ano, estive no Centro de Desenvolvimento Infantil de Harvard  fazendo um curso para lideranças em primeira infância. Lá conversei com professores como Jack P. Shonkoff e Charles Nelson, que inclusive faz pesquisas na Bahia. Lá pude ver com clareza o efeito do estresse tóxico na infância e suas consequências na vida adulta.

Este centro faz muitas pesquisas sobre o estresse tóxico, que seria o estresse prologado e repetido em crianças pequenas e que repercutirão em suas vidas para sempre. Estão incluídos neste tópico os abusos físicos, sexuais, a fome, a violência doméstica, o ambiente do entorno entre outras coisas.

Avanços em campos de investigação tão diversos como a neurociência, a biologia molecular, genômica, psicologia do desenvolvimento, epidemiologia, sociologia e economia irão catalisar uma mudança de paradigma importante na nossa compreensão da saúde e doença ao longo da vida.

Esta convergência entre a ciência multidisciplinar de desenvolvimento humano tem profundas implicações para a nossa capacidade de melhorar as perspectivas de vida das crianças e para fortalecer o tecido social e econômico da sociedade. Com base nestes múltiplos fluxos de investigação, um relatório da Academia Americana de Pediatria apresenta um quadro eco- bio- desenvolvimento neuropsíquico que ilustra como início de experiências e influências ambientais pode deixar uma assinatura duradoura sobre as predisposições genéticas que afetam a arquitetura cerebral emergentes e saúde a longo prazo.

O relatório também examina extensa evidência dos impactos negativos do estresse tóxico, oferecendo insights (pontos de vista) intrigantes em mecanismos causais que ligam adversidade cedo para impedimentos posteriores na aprendizagem, comportamento, e ambos bem-estar físico e mental.

As implicações deste quadro para a prática da medicina, em geral, e pediatria, especificamente, são potencialmente transformadora. Eles sugerem que muitas doenças do adulto devam ser vistas como transtornos de desenvolvimento que começam cedo na vida e que as disparidades de saúde persistentes associados à pobreza, discriminação ou maus-tratos podem ser reduzidas pelo alívio do estresse tóxico na infância.

Um quadro eco- bio- desenvolvimento neuropsíquico também ressalta a necessidade de um novo pensamento sobre o foco e os limites da prática pediátrica. Ele chama para pediatras para servir como ambos os guardiões da linha de frente do desenvolvimento infantil saudável e estrategicamente posicionados, líderes comunitários para informar novas estratégias baseadas na ciência que construir bases sólidas para a realização educacional, a produtividade econômica, a cidadania responsável e de saúde ao longo da vida.

Pensando nisto o Instituto Pensi deve iniciar em 2014 a criação de um núcleo de pesquisa em primeira infância, com a preocupação nesta área de estresse tóxico.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade