PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O processo de adaptação pode ser leve
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O processo de adaptação pode ser leve

O processo de adaptação pode ser leve

29/01/2016
  462   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

É chegada a hora de recomeçar, de voltar à rotina e aos hábitos, que trazem às crianças e famílias, a possibilidade de trilharem os primeiros passos da vida acadêmica, por isso, todo início de ano escolar, é natural que o adulto tenha certa apreensão para administrar sua agenda, trabalho, seus horários, e, claro, a escola da criança.

A segunda parte deste momento, eu diria que talvez seja a mais trabalhosa, lidar com o lado emocional, que tanto para os pais, quanto para os filhos, revela certa inquietude, insegurança, medo do desconhecido, ansiedade, descontrole. Para as crianças do Ensino Fundamental, as manifestações podem ocorrer igualmente, entretanto, as duas circunstâncias, ilustram a importância da compreensão e conhecimento do adulto para saber lidar com seus filhos em tais estágios.

É comum que pais e mães de primeira viagem, sintam certa angústia, ou até mesmo culpa, de deixar o pequeno, de entregá-lo para um mundo novo, carregado de mistérios e curiosidades.

Muitas crianças se recusam a enfrentar a escola, por não aceitarem se separar dos pais, avós, ou da babá, por insegurança, por medos ou por sua pouca experiência social. Já as crianças mais tímidas, tendem a ter mais dificuldade nas primeiras semanas por imaginarem esta separação. Como citei, se os pais estiverem angustiados, certamente a situação será mais difícil, e poderão transmitir a rejeição pela escola ao filho. O excesso de proteção dos pais dificulta assim, a oportunidade de descoberta e de interação por parte da criança com seu novo universo. Não que haja qualquer fator ligado à escola, mas, sim, pela dificuldade em fazer este corte.

O que os pais podem fazer para atenuar a insegurança dos primeiros dias de aula?

– Separação gradual: com a orientação da equipe pedagógica, aceitem o ritmo de integração da criança em sua escola.

– Acreditem fundamentalmente que a escola escolhida é a ideal e é neste espaço que ela ficará.

– Em casos de alguma dor, ou desconforto, pode ser manifestação de ansiedade. Coloque de maneira clara que ela irá à escola, mas se continuar indisposta, a enfermaria entrará em contato com a família.

– Evitem muitas propagandas sobre a escola, deixem que gradativamente a criança lhes conte o que vivenciou e descobriu. Dessa forma, ela sentirá que vocês acreditam nela.

– Mantenham a calma, e afirmem que seu lugar é na escola.

– É interessante leituras antes de dormir sobre histórias com personagens valentes, como animais, pois ela se perceberá em situações solucionáveis.

– Considerem as preferências da criança caso ela opte por não brincar em um primeiro momento, entretanto, deixem que a equipe pedagógica faça a intervenção.

– Conforme o posicionamento dos pais melhora em casa no sentido da confiança, em si mesmos e na escola, certamente a criança corresponderá ao processo adaptativo tranquilo.

Mantenham-se confiantes na escola de seu filho! A instabilidade emocional que aflige ambas as partes é apenas uma fase transitória do processo de amadurecimento da relação mãe e filho, pai e filho.

Bom ano a todos!

Liliam Abrão Martins

Liliam Abrão Martins

Liliam Abrão Martins, é professora de Ed. Fundamental I, Educação Infantil, Psicopedagoga e Analista Junguiana. Rua Mairinque, 171 – Vila Mariana 04037-020 – São Paulo/SP Tel: (11) 2577-5433

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade