PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O que você aprende quando brinca com seus filhos?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O que você aprende quando brinca com seus filhos?

O que você aprende quando brinca com seus filhos?

27/09/2016
  658   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Quem costuma ler a nossa coluna aqui no Cantinho do Aprendizado, ou nos segue no Tempojunto, sabe que eu e a Patcamargo não somos profissionais de educação ou de saúde. Somos mães que resolvemos nos dedicar à Primeira Infância e a ajudar outros pais e mães a saberem como usar o tempo com os filhos para fortalecer os vínculos e auxiliar no desenvolvimento integral das crianças. O grande veículo que utilizamos para atingir estes objetivos são as brincadeiras.

Há dois anos, todos os dias, produzimos conteúdo para conscientizar os adultos sobre a importância do brincar e fornecer soluções práticas para que pais, mães e cuidadores em geral saibam como incorporar mais brincadeiras com suas crianças no cotidiano, respeitando o tempo e os recursos disponíveis.

Aos poucos, além de ver no nosso dia-a-dia, com os nossos filhos, como essa prática de brincadeiras tem influência direta na forma como as crianças se desenvolvem, conseguimos perceber que o brincar com os filhos tem uma série de vantagens para nós, adultos, também. Mas, afinal, o que a gente aprende quando brinca com nossos filhos?

1. A criança fala pela brincadeira

Principalmente na Primeira Infância, período que vai da gestação aos 6 anos, quando a criança ainda está em aquisição de linguagem e das sutilezas da comunicação oral, através das brincadeiras conseguimos nos comunicar e conhecer os nossos filhos.  

É possível perceber quais são seus interesses e o que eles estão absorvendo das informações que recebem a cada minuto das suas vidas. Também através da observação do ato de brincar, conseguimos perceber como os nossos filhos estão evoluindo do ponto de vista cognitivo, motor, social e emocional e podemos atuar em cima das eventuais deficiências que conseguimos detectar. Vimos como nosso filho se relaciona com o mundo que o cerca e podemos estimulá-lo a conhecer e saber mais a partir daí.

2. É possível deixar a vida mais leve

Quando a gente assume uma atitude brincante, em que levamos os filhos para o banho com música ao invés de gritos, ou que passamos o tempo do engarrafamento procurando cores e formas geométricas ao invés de reclamando do trânsito, fica mais fácil enfrentar as mazelas do dia-a-dia e ser mais feliz.

3. Valorizamos o poder da imaginação

As crianças não precisam de muito para se divertir. O brincar é mais importante do que o brinquedo em si e com um pouco de imaginação, os objetos ganham novos significados.

Uma caixa de papelão, por exemplo, pode virar um barco, um carro, um helicóptero, uma casinha, tudo em função dos olhos de quem vê.

4. Focamos no que realmente importa.

Ao brincar com os nossos filhos, nos damos conta de que a nossa presença e disponibilidade, mesmo que por pouco tempo, são mais importantes e provocam um impacto maior do que qualquer bem material que possamos oferecer.

Patrícias Camargo e Marinho

Patrícias Camargo e Marinho

Patricia Marinho, publicitária de formação, é a criadora do Tempojunto, um projeto que traz dicas de brincadeiras para serem feitas em qualquer situação. Junto com sua sócia, a jornalista Patricia Camargo, querem mostrar a importância da brincadeira para as crianças e para o vínculo afetivo positivo entre pais e filhos.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade