PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Sapatos para crianças ativas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Sapatos para crianças ativas

Sapatos para crianças ativas

22/03/2016
  794   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Nos primeiros meses de vida, os pés dos bebês se desenvolvem melhor quando não “confinados” em sapatos. Meias serão suficientes para manter seus pés aquecidos.

No entanto, uma vez que as crianças começam a andar ao ar livre, precisarão de sapatos para a proteção.

Aqui apresentamos algumas dicas para os pais no momento da compra de sapatos para crianças pequenas:

  • Procure sapatos confortáveis ​​com sola antiderrapante, como tênis, que ajudarão a manter o seu bebê firme em pisos escorregadios;
  • Comprar sapatos bem-feitos, mas não gastar muito dinheiro. Nesta fase, os pés das crianças crescem tão rapidamente que o primeiro par de sapatos não vai durar mais de 2 ou 3 meses;
  • Verificar se o tamanho está adequado. Os pais devem checar o ajuste uma vez por mês. O topo do dedão deve ficar cerca de 2 centímetros a partir da borda interior do sapato.

Preocupações comuns de pais quando os filhos iniciam a deambulação:

“Minha filha de 15 meses de idade não está mostrando sinais de que se prepara para andar. Ela mostra pouco interesse em se mover.”

Causa provável: Atraso no desenvolvimento

O que os pais devem fazer: Conversar com seu pediatra para organizar uma avaliação do desenvolvimento do seu bebê.

“Meu filho vira os dedos dos pés visivelmente para dentro quando anda.”

Causa provável: estágio de desenvolvimento normal

O que os pais devem fazer: Esta tendência geralmente desaparece com o amadurecimento da criança. Raramente interfere na mobilidade.

“Meu filho está mancando e reclamando de dor.”

Causa provável: Lesão, infecção, artrite, ou outra condição que requer tratamento.

O que os pais devem fazer: Se você não pode ver e remover uma fonte óbvia de dor, como uma lasca, por exemplo, leve ao seu pediatra para determinar a causa da dor.

“Meu filho manca, mas não está reclamando de dor. Ele anda com um andar gingado.”

Causa provável: fraqueza neuromuscular ou disfunção da articulação do quadril

O que os pais devem fazer: Levar ao pediatra para análise. O médico irá determinar se ele deve ser visto por outro especialista pediátrico.

“Meu filho muitas vezes caminha sobre as pontas dos dedos e “bolas” de seus pés depois de muitos meses de caminhada.”

Causa provável: O hábito ou um problema neuromuscular

O que os pais devem fazer: Embora normal durante a deambulação precoce, andar sobre os dedos dos pés ou as bolas dos pés após 2 anos de idade indicam que seu filho deve ser avaliado. Pergunte ao seu pediatra.

“A criança tem dificuldade para caminhar, cai muito e tem dificuldade em ficar em pé novamente. Ela usa as mãos para subir as pernas ao tentar ficar de pé. Tem uma espécie de gingado quando anda.”

Possível causa: a distrofia muscular ou outra condição neuromuscular que requer diagnóstico e tratamento

O que os pais devem fazer: levar ao pediatra, que irá analisar o seu filho e poderá encaminhá-lo a outro especialista em pediatria. Se o diagnóstico for confirmado, seu filho vai precisar de tratamento de longo prazo. Seu pediatra também vai ajudá-lo a encontrar grupos de apoio para crianças e pais.

Fonte: The Big Book of Sintoms: Guide AZ de saúde do seu filho (Copyright © 2014 Academia Americana de Pediatria)

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade