PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dicas para gerenciar o tempo de tela das crianças
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dicas para gerenciar o tempo de tela das crianças

Dicas para gerenciar o tempo de tela das crianças

18/09/2020
  393   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Como muitas, senão todas, crianças tendo aprendizagem remota em tempo integral ou parcial, os pais querem saber algumas ferramentas e dicas úteis sobre como podemos limitar e gerenciar melhor o tempo de tela das crianças. Li uma entrevista com a Dra. Cross, pediatra e membro do Conselho de Comunicações e Mídia da Academia Americana de Pediatria (e também mãe), com seus insights e experiência neste tópico importante. De olho nisso, é oportuno expor algumas de suas ideias e sugestões adaptadas para nossas crianças e nosso meio.

  1. Seja proativo sobre o tempo de uso da tela

Quando estiver fora por longos períodos, saber o que as crianças estão fazendo é importante. Fale sobre tecnologia com antecedência e diga a eles o que eles podem fazer quando os pais estão trabalhando. Faça uma lista do que é apropriado (talvez um episódio de um determinado programa de TV ou por quanto tempo eles podem jogar Roblox, Minecraft e depois diga-lhes para fazerem alguma leitura ou criação) para que eles saibam quais são suas opções e tomem boas decisões. Deixe uma lista para eles e misture tudo.

Os pais precisam ser realistas quanto ao fato de que uma criança pode se divertir por algumas horas, mas também devem agendar intervalos para um lanche e bate-papo ao longo do dia para que os filhos saibam quando estarão juntos. Deixe as crianças saberem que são importantes o suficiente para que você faça uma pausa para elas. É muito importante. Os empregos são muito importantes, mas certifique-se de que as crianças também sintam que são importantes, e apenas dizer isso já ajuda muito.

  1. Promova a união e descanse bastante

Quando feito o trabalho escolar, é muito importante que os pais tenham filhos nas áreas comuns da casa. Não queremos que nossos filhos se sintam isolados ou sozinhos em seu apartamento de um cômodo quando não podem realmente sair. É importante que eles saiam da sala de “trabalho” e tenham interação com outras pessoas na casa. Certifique-se de que as crianças se conectem para que não fiquem deprimidas. A Dra. Cross nos lembrou que os pais precisam saber que as crianças precisam dormir o suficiente. Quando as crianças estão constantemente nas telas, seu sono pode não ser bom. Desligue a tela mais cedo. Planeje ler, tomar banho e descansar antes de dormir, para que não haja tempo de uso da tela antes do sono. Se bem descansadas, as crianças geralmente se comportam melhor.

  1. Ensine as crianças a seguir em frente mesmo em dúvida

Para as crianças que têm problemas com o aprendizado online, a Dra. Cross recomenda que os pais devem entrar em contato com o professor rapidamente. Talvez ele possa orientar alguns exercícios para imprimir e que ajudem para que não fiquem todos online. Outras crianças podem precisar de um intervalo maior, então pode haver algumas atividades que elas não façam online para se concentrarem em outras. Deve haver um dar e receber para eles. Sem um professor presente, as crianças não sabem como priorizar e podem ficar presas, então os pais precisam ensinar as crianças no início que se você chegar neste ponto e não puder fazer isso, siga em frente e faça o resto. Deixe-os saber que podem circular o que não sabem e voltar depois com o professor ou pai mais tarde, mas devem continuar. Essa é uma habilidade que muitas crianças ainda não possuem no ensino fundamental e médio. Com crianças mais novas, dê-lhes uma lista escrita com os horários ao lado para que possam riscá-los e realizá-los e saber o que têm pela frente. Eles gostam dos horários para que possam olhar e ver onde estão e tentar imitar os horários escolares em casa. E acrescente leitura à sua lista todos os dias. A Dra. Cross enfatizou que mesmo que você passe 10 minutos por dia lendo com seu filho, isso já fará uma grande diferença em como sua alfabetização se desenvolverá no próximo ano.

  1. Modelo de como desconectar

As crianças precisam pensar que são prioridade. Definitivamente, durante o jantar, os pais não deveriam levar o telefone para a mesa. Se você puder desconectar por uma hora, coloque o telefone em uma gaveta para não ouvir bipes. Aqueles pequenos momentos em que você o guarda e olha para eles e fala, eles precisam disso. Se quisermos saber se nossos filhos estão emocionalmente bem durante esse período, precisamos dar a eles a chance de falar conosco. Programe as desintoxicações digitais de seus filhos com uma hora antes de dormir, na hora do jantar e /ou depois da escola. Não permita nenhuma tecnologia depois da escola e faça disso uma regra e as crianças encontrarão outra coisa para fazer. Deixe de fora livros, quebra-cabeças, jogos, cartas, LEGOs, arte e artesanato para que as crianças possam descobrir por conta própria. Você precisa ter um pouco de tédio para que as crianças possam encontrar algo para fazer e descobrir do que realmente gostam. Lembre-se de que a infância costumava ser assim, para que as crianças possam descobrir.

  1. Limites e recomendações de tempo da tela

Ficar fora das regras está ok se for um período curto, mas com algumas escolas fazendo ensino remoto todo este ano, nos preocupamos que seja um hábito que será difícil resgatar mais tarde. É muito importante para os pais descobrirem onde está seu conforto. Não há problema em dizer às crianças que, quando não estamos trabalhando e estudando no sábado e no domingo, seguimos as regras tradicionais. A Dra. Cross nos lembra que devemos entender que, eventualmente, a Covid-19 acabará e assim que pudermos voltar para nossas atividades, nós o desejaremos. Não será tão ruim quanto todos nós pensamos, mas garantir que os pais sejam pais  para não perdermos autoridade e ter a hierarquia totalmente fora de controle.

Para crianças que aprendem remotamente, são sedentárias e ficam na tela, quando têm seu tempo de inatividade, devemos tentar não o tornar uma brincadeira baseada na tela. Um FaceTime pré planejado com os amigos está ok, mas deve haver algum limite de tempo e a compreensão de que esse não é o melhor uso do tempo deles, além de que eles precisam ser fisicamente ativos. Não é normal que as crianças fiquem dentro de casa olhando para uma tela o dia todo. Isso afetará sua saúde mental e física. Para crianças em comunidades, quando podem sair, mesmo que não possam andar com um grupo de crianças, elas ainda podem ser fisicamente ativas. Então permita que seu filho dê um passeio de bicicleta com outra criança.

  1. O novo normal implica em conversar

Os pais devem falar com quem seus filhos estão brincando, ter certeza de que você está confortável e que é semelhante em sua abordagem ao novo normal. Deve haver uma verdadeira honestidade aí e se alguém desenvolver sintomas, comuniquem-se uns aos outros e não continuem a sair para brincar, se puderem ser expostos. Se você e seu filho apresentam baixo risco, deixe-os sair e brincar. Os pais também podem se sentir isolados e devem procurar os amigos de outros pais e ver o que os outros estão fazendo. A Dra. Cross aconselhou: “Se eles têm grupos dos quais são próximos e podem conversar sobre isso, dá mais força dizer que conversei com os pais de seus amigos e eles também não concordam com isso”. Temos nossa aldeia e precisamos dela mais do que nunca.

Saiba mais sobre isso:

8 coisas que os pediatras querem que os pais saibam durante a pandemia de coranavírus

Volta às aulas: como orientar as escolas?

Coronavírus: lidando com o fechamento das escolas

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade