PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
12 dicas para sobreviver ao terrível 3 anos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
12 dicas para sobreviver ao terrível 3 anos

12 dicas para sobreviver ao terrível 3 anos

24/04/2017
  2953   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Ter um filho de 3 anos pode ser mais difícil do que se imagina. Aqui estão 12 dicas para ajudá-lo a aprender a amar a paternidade novamente:

1- Gritar menos, amar mais: gritar é um mecanismo de defesa tardia, uma técnica que usamos quando tudo falha. Mas gritar pode machucar as crianças mais do que percebemos. Pode causar uma mudança de comportamento imediato, mas a longo prazo pode causar danos psicológicos reais. Ao invés de gritar e punição dura, as crianças precisam de parentalidade positiva para um desenvolvimento saudável do cérebro, pesquisas mostram que a parentalidade positiva de crianças em situações estressantes, ao invés de repreender ou punição corporal, é realmente associada a um aumento no tamanho de certas áreas do cérebro.

2- Rotule o comportamento: Em vez de ficar irritado, rotule o comportamento. Há uma cena em que o monstro Cookie é acusado de mentir sobre quem roubou os cookies. Frustrado e chateado, Cookie Monster diz: “Eu sou guloso, não mentiroso.” Se na Vila pode usar palavras como “guloso” para rotular o comportamento, você também pode. Então agora usamos palavras como “gula”, “paciência”, “bondade” e “diligência”.

3- Esteja em sintonia com seus filhos: A chave para criar crianças emocionalmente saudáveis ​​é a sintonia, ou o quão bem você reconhece as necessidades de seu filho em qualquer momento.

4- Dê ao seu filho toda a sua atenção em doses frequentes e pequenas

5- Redirecione com criatividade: Tente redirecionar cedo e com uma voz amorosa. Pergunte a si mesmo: “Por que meu filho está se comportando mal? O que eles realmente precisam?” Comportamentos agressivos geralmente requerem redirecionamento físico. Por exemplo, se uma criança está roubando brinquedos ou gritando, eles podem precisar andar de bicicleta por um tempo. Se uma criança está deitada no chão e choramingando, eles podem precisar de um pouco de atenção e alguma atividade tranquila como ler um livro.

6- Dê carinho ao seu filho de 3 anos de idade, muitas vezes por dia: A maioria das crianças de 3 anos de idade precisa de muitos abraços, mesmo quando você não está pronto. Esteja pronto para colocar o seu trabalho para baixo e abraçar o seu filho, várias vezes por dia. Não se esqueça de realmente dizer: “Eu te amo”, especialmente quando seu filho de 3 anos está se comportando mal.

7- Antecipar os infratores reincidentes: As crianças, como os adultos, têm padrões de mau comportamento. Eles fazem as mesmas coisas erradas repetidas vezes. Precisa ser colocado um limite e mostrar as consequências aplicando-as quando necessário.

8- Definir expectativas: Escreva uma lista de regras familiares. Para crianças de 3 anos, faça a lista curta e simples. Por exemplo, 1). Use vozes amorosas, 2). Obedecer a mamãe e papai, e 3). Não machucar outras pessoas. Discuta as regras diariamente e elogie os sucessos no jantar ou na hora de dormir.

9- Ensine a obediência: As crianças não nascem obedientes. Temos que ensiná-los. Crianças de 3 anos estão naturalmente buscando autonomia e irão combater a obediência. O truque é ensinar as crianças que querem ser obedientes, que recebem muitos elogios e reforços positivos quando fazem o que você diz.

10- Elogie o esforço, não o resultado: Tente dar parabéns! Quantas vezes você corrigir, elogie do jeito certo. Elogie o esforço, não o resultado. Muito elogio pode realmente ter um efeito inverso sobre a realização das crianças, pode definir a barra muito alta e levá-los a temer o fracasso

11- Seja coerente: Consistência não significa punições severas ou gritos, significa consistentemente abordar os mesmos comportamentos problemáticos. Se deixar seus sapatos no chão não está OK na segunda-feira, você não pode buscá-los para o seu filho na terça-feira. Isso não significa que seu filho de 3 anos precisa de um chicote verbal.

12- Quando tudo mais falhar, recorra ao castigo de tempo: Não fique bravo, basta pedir ao seu pequeno desafiante para ficar alguns minutos pensando no que fez e buscá-lo para conversar após alguns minutos. Certifique-se de identificar o seu tempo de saída localização de antemão e tentar ser coerente sobre este local. Dê um minuto de tempo para cada ano de vida, ou diga-lhe que ele está ficando de castigo até pare de chorar e volte a ser doce. Resista à vontade de debater para falar a razão. Ele tem 3 anos. Ele não será razoável.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte Copyright © 2015 Kathleen Berchelmann MD, FAAP

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade