PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A influência dos filmes para crianças
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A influência dos filmes para crianças

A influência dos filmes para crianças

05/11/2014
  1214   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Cada vez mais as crianças têm acesso as telas da TV, Cinema, Videogames, Computadores etc. Será que o que elas assistem pode afetar sua percepção do Mundo? E em relação aos pais e cuidadores?

Como as cenas que contenham sexo e violência tornaram-se mais prevalente em filmes direcionados aos jovens, os pais podem ser menos propensos a proteger seus filhos a partir deste conteúdo, de acordo com um estudo publicado em novembro 2014 na Pediatrics.

Os pesquisadores pediram a 1.000 pais de pré-adolescentes e adolescentes para assistir a uma série de clipes de filme em sucessão. Para cada clipe, eles foram perguntados para qual a idade mínima em que seria confortável permitir que seus filhos verem o filme. Quanto mais os pais assistiram, mais os seus padrões relaxavam. Inicialmente, eles avaliaram cenas com violência adequado para a idade 16,9 anos e cenas com sexo apropriado para 17,2 anos (em média). Ao final do estudo, os pais foram julgando cenas semelhantes apropriado para as idades de 13,9 (de violência) e 14,0 (sexo). O estudo constatou que os pais que assistiram a filmes com frequência foram mais facilmente insensíveis à violência.

A Motion Picture Association of America (MPAA) classifica os filmes para ajudar os pais na escolha de conteúdos adequados para as idades de seus filhos. O aparecimento de conteúdo violento, particularmente, tem aumentado dentro da categoria PG-13 (aconselhado para maiores de 13 anos). Cenas com a violência armada nesta categoria triplicaram desde 1985. Cenas de sexo aumentaram em filmes com uma classificação R (para maiores de 18 anos), e não há evidências que sugerem que o sexo é mais prevalente em PG-13 filmes também

De acordo com os autores do estudo, os padrões de mudança de pais podem realmente ser um resultado do aumento da violência em PG-13 filmes. Isto apresenta desafios para um sistema de classificação que se destina a alertar sobre tal conteúdo, e é agravado pelo aumento da disposição dos pais para permitir que seus filhos para vê-lo.

O interessante deste artigo e da pesquisa está em mostrar que quando vemos muitas cenas de violências e de sexo, acabamos achando “normais” e que nossos filhos, mesmo pequenos possam vê-las sem problemas.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: Parental Desensitization to Violence and Sex in Movies

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o atendimento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade