PESQUISAR

Residência Médica
Residência Médica
Crianças com Síndrome de Down: Informações para Famílias
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Crianças com Síndrome de Down: Informações para Famílias

Crianças com Síndrome de Down: Informações para Famílias

28/06/2018
  157   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Hoje, no mundo inteiro, a cada minuto, nascem 18 bebês com problemas de má formação, o que significa quase 10 milhões de bebês por ano. A Síndrome de Down, na área das síndromes genéticas, é a de maior incidência: 91%.

No Brasil, estima-se que, entre crianças, adolescentes e adultos, já tenhamos uma população de portadores da Síndrome de Down que esteja perto de 300 mil pessoas. A maioria, claro, é carente, pobre, sem orientação, sem informação, sem condições de frequentar clínicas de estimulação precoce ou escolinhas especializadas.

Embora não haja dados oficiais, segundo estimativas atuais a expectativa vida vem aumentando cerca de 2,7 anos ao ano em países desenvolvidos se situa na Espanha entre os 62 e 63 anos. Embora os nascimentos tenham diminuídos pelo diagnóstico intra-útero e a possibilidade aborto legal em muitos países, o fato da expectativa de vida estar aumentando, gera preocupação em pais e governos para garantir uma vida descente a estas pessoas.

A Síndrome de Down é uma condição comum causada pela presença de três cromossomos 21 ou seja trissomia do 21. Esses genes extras mudam o desenvolvimento durante a gravidez e continuam a ter efeitos após o nascimento e ao longo da vida de uma pessoa. Cada pessoa com síndrome de Down é única, com algumas das muitas possíveis diferenças de saúde.

Algumas das diferenças em pessoas com Síndrome de Down são comuns e visíveis, como a aparência facial. Outras alterações são menos comuns ou menos visíveis, mas ainda podem causar problemas ou podem necessitar de tratamentos especiais.

  • Características da Síndrome de Down;
  • Características faciais planas;
  • Cabeça pequena, orelhas de implantação baixa;
  • Linha única na palma da mão dedinho curvado;
  • Pescoço curto, língua abaulada;
  • Olhos inclinados para cima, orelhas de forma atípica;
  • Tônus muscular fraco.

O rastreio pré-natal é uma forma de avaliar a probabilidade de desenvolvimento do bebê ou já ter desenvolvido uma anormalidade durante a gravidez. O teste de triagem utilizado para a Síndrome de Down é conhecido como o “teste combinado”. Ele inclui um exame de sangue e ultrassom.

É comum em crianças com Síndrome de Down algumas comorbidades ou doenças associadas:

  • Cardiopatia congênita;
  • Distúrbio de visão;
  • Doença da tireoide (hipotireoidismo);
  • Imunodeficiência;
  • Obesidade;
  • Perda de audição;
  • Respiração bucal.

Uma criança com Síndrome de Down pode nascer com um tamanho médio, mas irá desenvolver-se mais devagar do que uma criança sem a condição. Os “tratamentos especiais” podem incluir medicamentos, cirurgias ou mudanças nos aspectos possíveis de doenças que acompanham a trissomia do 21. Não há medicamentos ou terapias que sejam necessárias para todas as pessoas com síndrome de Down. Também não há medicamentos ou terapias que possam “curar” a síndrome de Down.

Saiba mais sobre este assunto em artigos já publicados aqui:

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte:

http://pediatrics.aappublications.org/content/128/2/393.full

https://noticias.r7.com/saude/fotos/cerca-de-300-mil-pessoas-tem-sindrome-de-down-no-brasil-21032018#!/foto/1

http://www.movimentodown.org.br/2012/12/estatisticas/

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para os cuidados médicos e os conselhos do seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que seu pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740)Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP.Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

NOSSAS INICIATIVAS
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade