PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Fumar está na moda?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Fumar está na moda?

Fumar está na moda?

29/01/2018
  877   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Há alguns anos parece que o cigarro saiu da moda entre os jovens adolescentes. Talvez a dificuldade de se fumar em lugares públicos e a dificuldade de se fazer propaganda nos meios de comunicação de massa como TV e cinema, faça com que o número de jovens fumantes diminua. A indústria do tabaco deslocou os esforços de marketing para longe das formas tradicionais de marketing, direcionando para a Internet desde 1998, meio que não tem as mesmas regulamentações dos veículos impressos.

Um estudo na revista Pediatrics de fevereiro de 2018 mostra que os adolescentes envolvidos com o marketing online do tabaco eram mais propensos a tentar usar produtos com tabaco com mais frequência e com menos chances de parar de usar os produtos. O estudo sugere que o envolvimento ativo com o marketing online – como assistir a vídeos online ou usar sites de redes sociais para ver produtos de tabaco – pode colocar os adolescentes em maior risco de uso do tabaco do que os métodos tradicionais de comercialização. Quase 12% dos adolescentes dos EUA – ou três milhões – se envolveram com o marketing online de tabaco em 2013-14.

Os pesquisadores analisaram dados de quase doze mil adolescentes americanos num estudo nacional de Avaliação da População para Tabaco e Saúde. Primeiro avaliando seu envolvimento com marketing online de produtos de tabaco em 2013-2014. Os pesquisadores acompanharam os entrevistados em 2014-2015 para determinar se os adolescentes:

1- Iniciaram o uso do tabaco,

2- Aumentaram a frequência de uso,

3- Engajaram e progrediram para o uso de outros produtos de tabaco (charutos, cigarros eletrônicos etc.)

4- Deixam de usar tabaco.

Depois de explicar outros fatores de risco, eles perceberam que o engajamento com o marketing de tabaco online aumentou a probabilidade de início do tabaco em 26%, o aumento da frequência de uso em 60% e a progressão para o uso de outros produtos em 70%, reduzindo a probabilidade de cessação em 30%.

O marketing na Internet permite que empresas de tabaco atinjam indivíduos através de publicidade direta ao consumidor, o que encoraja os consumidores a participar de atividades promovidas. Além disso, o marketing na Internet facilita e incentiva a interação entre os indivíduos e os jovens podem ser especialmente vulneráveis ​​ao marketing online devido aos altos níveis de uso de internet e redes sociais e sensibilidade à propaganda do tabaco.

Por se tratar de um problema de saúde pública, os autores sugerem que as autoridades de saúde e os órgãos de comunicação online entrem em acordo para limitar este tipo de marketing.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics January 2018

Online Tobacco Marketing and Subsequent Tobacco Use

Samir Soneji, JaeWon Yang, Kristin E. Knutzen, Meghan Bridgid Moran, Andy S.L. Tan, James Sargent, Kelvin Choi

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade