PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Fumar faz mal a todos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Fumar faz mal a todos

Fumar faz mal a todos

15/01/2018
  4603   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Muitos pensam que as únicas pessoas prejudicadas pelo uso do tabaco são fumantes que fumam há muito tempo. O fato é que o uso do tabaco pode ser prejudicial a todos.

Isso inclui bebês recém-nascidos e pessoas que não fumam. Se você fumar cigarros, charutos ou cachimbos, a melhor coisa que pode fazer por si mesmo e para todos ao seu redor é parar. Quando os pais expõem seus filhos ao fumo, estão colocando a saúde de seus filhos em perigo e enviando uma mensagem de que fumar é bom.

O fumo passivo, ou a fumaça que um fumante exala no ambiente e que é inspirada pelos outros, e também a fumaça que vem da ponta de cigarros e charutos acesos, contém cerca de 4.000 produtos químicos diferentes, muitos dos quais causam câncer. Devido à exposição ao fumo passivo, cerca de 3.400 não fumantes morrem de câncer de pulmão a cada ano e 22.000 a 69.000 não fumantes morrem por doença cardíaca a cada ano. A respiração da fumaça passivamente também pode causar:

  • Asma
  • Infecções respiratórias (como bronquite e pneumonia)
  • Problemas de pulmão
  • Infecções de ouvido
  • Síndrome de morte súbita do lactente (SIDS) (para bebês menores de um ano)

A Academia Americana de Pediatria (AAP) recomenda que as famílias mantenham casas e veículos sem fumo em todos os momentos. Esta é a única maneira de evitar totalmente a exposição aos produtos químicos tóxicos no fumo passivo. Fumar durante a gravidez ou expor mulheres grávidas à fumaça  pode levar a muitos problemas de saúde sérios para o feto, tais como:

  • Aborto espontâneo
  • Nascimento prematuro (nascido não totalmente desenvolvido)
  • Menor peso ao nascer do que o esperado (possivelmente significando um bebê menos saudável)
  • Problemas de aprendizagem e transtorno de déficit de atenção / hiperatividade (TDAH)

 

Fumar prejudica os adolescentes

Noventa por cento dos fumantes começam antes dos 18 anos. Cerca de um terço deles morrerá de uma doença relacionada ao tabagismo. Outros fumantes adolescentes podem experimentar os mesmos problemas de saúde que os fumantes adultos, incluindo:

  • Adição à nicotina
  • Tosse em longo prazo
  • Frequência cardíaca mais rápida
  • Problemas de pulmão
  • Pressão sanguínea mais elevada
  • Menos resistência
  • Risco maior de câncer de pulmão e outros tipos de câncer
  • Mais infecções respiratórias
  • Fumar também lhe dá mau hálito, dentes amarelos e unhas amarelas; faz com que o cabelo e as roupas cheirem mal; e enruga a pele.

Por estas razões, a AAP recomenda que a idade legal para comprar produtos de tabaco seja aumentada para 21. No Brasil a venda é proibida para menores de 18 anos.

Pense nos seguintes fatos:

Todos os anos, nos Estados Unidos, cerca de 438 mil pessoas morrem de doenças relacionadas ao tabagismo.

De acordo com a American Cancer Society, o tabagismo mata mais pessoas do que álcool, acidentes de carro, suicídios, AIDS, assassinatos e drogas combinadas.

Fumar causa 87% das mortes por câncer de pulmão. O câncer de pulmão é o principal tipo de câncer em homens e mulheres.

Além do câncer, o tabagismo também causa doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, problemas pulmonares crônicos e muitas outras doenças.

O tabagismo contribui com Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) – como câncer, doenças pulmonares e cardiovasculares – e o uso do tabaco continua sendo a principal causa de mortes evitáveis. Como parte do Plano de Ações Estratégicas do Ministério da Saúde para o enfrentamento dessa classe de doenças, o Brasil estabeleceu como meta a redução da prevalência do tabagismo para 9,1% até 2020, uma redução de 30% em 10 anos. O Brasil é exemplo porque instituiu uma política de controle do tabagismo Inter setorial, mobilizou ações estratégicas previstas na Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco.

Saiba mais dados do Brasil:

  1. http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa-nacional-controle-tabagismo
  2. http://www2.planalto.gov.br/noticias/2015/05/politicas-de-combate-ao-tabagismo-reduzem-em-mais-de-30-por-cento-numero-de-fumantes-no-brasil
  3. http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/09/1917932-cigarro-eletronico-nao-e-inocuo-como-a-industria-divulga-diz-medica-do-inca.shtml

 

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Adapted from The Risks of Tobacco Use (Copyright © 2009 American Academy of Pediatrics, Updated 8/2015)

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade