PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
tempo, tempo, tempo, tempooooo
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
tempo, tempo, tempo, tempooooo

tempo, tempo, tempo, tempooooo

09/04/2015
  654   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

tempo

Escrevo esse post, meio desajeitado, com essa música que não sai da cabeça desde ontem.

Acontece que entre o tempo que vivo, milimetricamente calculado – se é que posso usar essa unidade de medida para tempo – tenho que explicar o tempo que o tempo tem ao meu filho de 4 anos.

Isaac já estuda os dias, meses e momentos na escola, que esse ano lhe deu um calendário.

Acho válido o aprendizado, mas morro de dó deles, tão pequeninos, já se prendendo a semana, ao final de semana – que aliás, Isaac já reclama ser curto demais (filho de quem será esse menino?) – ao tempo que sobra e ao tempo que falta.

O tempo é ingrato.

As vezes sim as vezes não. mas é.

Ingrato agora comigo, que tenho que mostrar o tamanho do tempo ao meu filho.

– Mãe, já está na hora da natação?

– Ainda não, filho, faltam 10 minutos…

– Dez minutos é contar 1,2,3,4,5,6,7,8,9 e 10?

– Não, amor, isso são 10 segundos.

– E quanto são 10 minutos?

– Cada minuto tem 60 segundos. então são 600 segundos.

– Nooooooossa! mas 600 é muito!

E ele se frustra, quando depois dos rápidos 10 minutos eu o chamo pra natação.

E como se não bastasse tudo o que contar o tempo engloba – falo aqui da questão psicológica, cansadológica e culpológica da coisa toda – agora eu tenho é que me virar na medidas.

Uma fita métrica seria linda. uma que conseguisse tal proeza.

– Mãe, nós já vamos pro inglês?

– Ainda não. falta meia hora.

– Meia hora? quanto é meia hora?

– 30 minutos.

– Hummm… e quanto é isso?

Pensei e, no cansaço todo, na vontade de chorar, de sentar e brincar sem olhar pro relógio, me rendi:

– 30 minutos é um desenho do diskovery.

Ele entendeu.

E eu tô tentando me entender até agora.

Ou eternamente.

 

Carol Garcia

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade