PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Uso do castigo físico
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Uso do castigo físico

Uso do castigo físico

12/01/2017
  655   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

No Brasil desde que foi promulgada a lei da palmada (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13010.htm) em 2014, o assunto de castigo físico por parte de pais e responsáveis vem sendo debatido pela sociedade, sem ainda chegar a um consenso.

 

Um estudo na edição de dezembro 2016 da Pediatrics, investigou as mudanças das estratégias de disciplina ao longo do tempo. Estratégias de disciplina são um dos componentes principais das interações socioemocionais e incluem castigos físicos, como surras e técnicas de disciplina não-físicas, tais como tempo de castigo. Os investigadores examinaram quatro estudos nacionais de crianças do jardim de infância a cerca de 5 anos de idade, realizado entre 1988 e 2011, nos EUA.

 

Os estudos forneceram informações sobre o status socioeconômico dos cuidadores, bem como técnicas de disciplina típicas. As descobertas sugerem que os pais que usam do castigo físico diminuíram substancialmente, enquanto os pais que fazem uso de estratégias de disciplina não físicas aumentou significativamente em todos os grupos socioeconômicos.

 

Eles descobriram que as mães da ação no nível de renda média que endossam disciplina física diminuíram de 46% para 21% ao longo do período de estudo, e a mesma quota de endossar tempos limite aumentou de 41% para 81%. A diferença em endossar disciplina física entre mães se manteve estável ao longo do tempo, enquanto que a mesma diferença em endossar castigos não físicos diminuiu significativamente entre 1998 e 2011.

 

Embora o uso de disciplina física diminuísse em todos os grupos, os pesquisadores observaram que cerca de um terço das mães com os rendimentos mais baixos ainda endossa fisicamente disciplinar as crianças do jardim de infância. Eles sugerem que esses resultados nos fazem lembrar que a educação ainda é necessária para reduzir ainda mais a dependência de castigo físico e aumentar a utilização de técnicas de disciplina não-físicas .

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte Pediatrics December 2016, VOLUME 138 / ISSUE 6

Socioeconomic Gaps in Parents’ Discipline Strategies From 1988 to 2011

Rebecca M. Ryan, Ariel Kalil, Kathleen M. Ziol-Guest, Christina Padilla

 

As informações contidas neste site não devem ser utilizadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o seu pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.
Instituto Pensi

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade