PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Vamos brincar?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Vamos brincar?

Vamos brincar?

11/07/2014
  2457   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Brincar é mais do que entretenimento ou distração. Que tal aproveitar e resgatar algumas brincadeiras?

É época de férias! Crianças sem ir à escola e a eterna preocupação com o que fazer com elas. Junte-se a Copa e adultos ocupados, torcendo, sofrendo… Mas criança precisa brincar. O brincar não é apenas entretenimento, é necessidade. Pelo brincar na infância desenvolve-se importantes aspectos, como cognição, motricidade, personalidade, além de habilidades sociais como aprender a dividir, comemorar, perder, ajudar. O brincar é uma forma de descoberta importante e necessária.

Em grandes cidades, nossas crianças já não têm as oportunidades de vida ao ar livre como antes. Há o perigo da violência, a pouca disponibilidade de espaços que propiciam essa vivência, como parques mal conservados, lugares pequenos. Correr, subir em árvores, participar de brincadeiras que necessitam de grandes espaços já não são constantes na infância nos grandes centros. Há, contudo, aspectos positivos, elas estão mais espertas no tocante à modernidade e tecnologia. Não é incomum vermos crianças de menos de 3 anos sabendo utilizar aparelhos como iPads, joguinhos eletrônicos e até mesmo controles remotos. São outros tipos de inteligência desenvolvidos. Além de que, não podemos nos esquecer, estão sujeitas a muito mais informações e conhecimentos do que outrora. As inovações tecnológicas são ótimas, porém também acabam por isolar os pequenos, cada um com seu jogo não interage tanto com os outros.

Mas são férias, e elas precisam brincar e ampliar seu leque de possibilidades. Os brinquedos são ótimas ferramentas, assim como jogar videogame, utilizar computadores e ver televisão também fazem parte. Não podemos negar o progresso, temos que acompanhá-lo. Mas que tal resgatarmos brincadeiras tradicionais? Elas também podem fazer parte do rol de escolhas e ofertas para nossos pequenos. Pode ser divertido! E sair do lugar comum. Além, claro, de manter vivas as tradições.

Há brincadeiras que não requerem muito, nem mesmo espaço. Algumas dicas:

– Lenço atrás (ou Corre cotia)
– Passa anel
– Macaco (ou o mestre) mandou
– Mamãe posso ir?
– Mímica (ou Espelho)
– Contar histórias
– Cantar
– Desenhar e colorir
– Rabo no burro
– Fabricar brinquedos com sucata (como telefone de latinha, por exemplo)
– Sombras na parede
– Brincadeiras de roda (já pararam para pensar o quão pouco as crianças fazem isso hoje em dia?)
– Estátua
– Caça ao tesouro (colocar um “tesouro” escondido e espalhar pelo lugar dicas para encontrá-lo é simples, divertido, ocupa e desenvolve o raciocínio e diversas habilidades dos pequenos)
– Pular corda (tão simples, tão à mão e tão interessante para o desenvolvimento motor)

E muito mais! As opções são inúmeras!

São dicas simples, fáceis e práticas. Uma maneira de podermos, pelo brincar, não só ocupar e entreter as crianças, mas propiciar nas suas férias momentos divertidos, diferentes para muitos, além de ajudar em seu desenvolvimento. Brincar é importante, faz parte e deve ser estimulado.

Para quem quiser ter mais ideias, há diversos sites que dão dicas de vários tipos de brincadeiras, descrevendo-as, falando sobre sua importância, faixa etária indicada, entre outras informações. É só procurar.

Boas brincadeiras!

Leia também: Brincadeiras para fazer em casa com as crianças

Por Letícia Rangel, psicóloga

Atualizado em 14 de junho de 2024

Comunicação PENSI

Comunicação PENSI

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.