PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Ácido fólico pode reduzir o câncer infantil?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Ácido fólico pode reduzir o câncer infantil?

Ácido fólico pode reduzir o câncer infantil?

13/08/2012
  2468   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A substância ainda é uma incógnita para os pesquisadores com relação à minimização da doença

Desde 1998, foi recomendada pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos a fortificação de alimentos com ácido fólico. Atualmente, farinhas de trigo e milho, por determinação do Ministério da Saúde do Brasil, também são enriquecidas com a substância e ferro.

Como já escrevemos neste blog, o uso de ácido fólico na gestação mostrou a redução de 31% da prevalência de defeitos do tubo neural. No mês de junho deste ano, a revista Pediatrics apresentou um interessante estudo que mostrou se a fortificação também reduz o risco de câncer na infância.

Os autores da pesquisa estudaram dados coletados com 8.829 crianças, entre os anos de 1986 a 2008, do nascimento até os 4 anos de idade, e descobriram que a fortificação com ácido fólico dos alimentos pode ter reduzido as taxas de tumores de Wilms e primitivos, possivelmente neuroectodérmicos, em crianças.

Os pesquisadores da Universidade de Minnesota e da Universidade Washington, concluíram que outros estudos são necessários para confirmar uma relação causal entre a fortificação dos alimentos e as taxas de redução de câncer.

Alimentos como tomate, cogumelo, ervilha, brócolis e espinafre, por exemplo, são ricos em ácido fólico. No entanto, a quantidade da vitamina fornecida por essas fontes não é considerada suficiente para quem deseja engravidar. Dessa forma, entram em cena os suplementos que geralmente produzem outras substâncias ao serem associados com o ácido fólico, também essenciais à gestante, como o ferro, que previne a anemia.

O mesmo vale para crianças que podem ter o ácido fólico como suplemento alimentar, se necessário, em forma líquida em vez de cápsulas.

Consulte o pediatra!

Por: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: “Childhood Cancer Incidence Trends in Association with U.S. Folic Acid Fortification (1986-2008)” in the June 2012 issue of Pediatrics (published online May 21)

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade