PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Catarata também é coisa de criança
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Catarata também é coisa de criança

Catarata também é coisa de criança

30/05/2012
  924   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O acompanhamento e cirurgia precoces podem trazer bons resultados

A Catarata Congênita é a causa mais comum, no mundo, de perda visual ao longo da vida das crianças.

Embora a doença tenha uma etiologia diversa, em muitas crianças, uma causa específica não é identificada, no entanto, parece haver um fator genético com gene dominante (herança autossômica dominante), que é comumente observado.

O diagnóstico precoce e o acompanhamento pós-natal na comunidade é importante, porque a intervenção adequada pode resultar em bons níveis de retorno da função visual.

No entanto, o resultado visual depende, em grande parte, de quando a cirurgia é realizada. Bons resultados foram relatados em crianças que realizaram uma operação antes de 6 semanas de idade, com catarata unilateral, e 10 semanas de idade, nos casos bilaterais.

A colocação de uma lente intraocular artificial de implantes, após remoção da catarata, tornou-se prática estabelecida em crianças acima dos 2 anos. Ainda há debate sobre a segurança e a previsibilidade do implante de lente intraocular nos pequenos. Apesar da cirurgia precoce e reabilitação óptica agressiva, as crianças ainda podem desenvolver o glaucoma, nistagmo, estrabismo e ambliopia de privação.

O diagnóstico e gerenciamento da catarata congênita melhoraram ao longo dos últimos 30 anos, com um progresso simultâneo nos resultados das crianças afetadas. Muitos aspectos pré, intra e pós-operatório realizados nesses pacientes devem evoluir, como a necessidade de dados de boa qualidade e estudos prospectivos de colaboração nesse campo.

Traduzido por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Educational paper: Congenital and infantile cataract: aetiology and management.
Chan, W.H.; Biswas, S.; Ashworth, J.L.; Lloyd, I.C.
Páginas 625 – 30

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Aline disse:

    Ola gostaria de saber se é possível realizar a remoção da catarata em recém nascidos, causadas pela deficiência da enzima galactoquinase?
    Fico no aguardo e desde ja agradeço a atenção.

  • Aline disse:

    Tudo bem,
    minha tem 1 ano e vez a retirada da catarata no olho direito aos 9 meses de idade, mas não colocou a lente porque não deu pra ver o fundo do olho porque mesmo colocando colírios diversas vezes a pupila não dilata. O que posso fazer?

    • Equipe Sabará disse:

      Oi, Aline.

      A primeira medida a ser tomada é levar a sua menina a um oftalmologista para que ele possa examiná-la e assim proceder da melhor forma.

      Att,

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade