PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dicas de livros infantis sobre desfraldamento
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dicas de livros infantis sobre desfraldamento

Dicas de livros infantis sobre desfraldamento

19/12/2013
  1311   
  1
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Anote algumas sugestões que podem ajudá-los nesse processo de desenvolvimento da criança

dicas de livros sobre desfraldamento

O momento do desfralde e a maneira como ele ocorre varia muito de criança para criança e de família para família. Entre os 18 e 30 meses, a maioria das crianças começa a controlar os esfíncteres, músculos responsáveis pela expulsão das fezes e da urina. Nesse mesmo período, os pequenos adquirem habilidades corporais fundamentais para o processo de desfraldamento, como ficar de cócoras, cruzar as pernas, subir e descer escada, sentar sozinho no penico/vaso sanitário (com ou sem auxílio de um banquinho) e tirar a própria roupa (considerando aquelas que são fáceis de serem tiradas, como as que têm elástico na cintura, sem zíper ou botões).

Permanecer com as fraldas diurnas secas por mais de 1-2 horas, sinalizar que fará ou está fazendo xixi ou cocô (mesmo que ambos ainda sejam confundidos), entender ordens simples como “Vamos ao banheiro” e se interessar por assuntos relacionados à micção e à evacuação (querer imitar adultos ou crianças mais velhas no uso do vaso sanitário, colocar boneca para fazer xixi, querer usar calcinha/cueca, etc.) também são indicadores da maturidade da criança para o treino esfincteriano.

Tirar a fralda e usar o peniquinho ou vaso sanitário pode ficar mais fácil – ou ao menos divertido – com a leitura e o manuseio de livros que abordam o tema. Embora nosso mercado editorial tenha poucas ofertas, destaco três muito bons:

 livro 1

O que tem dentro da sua fralda? / Guido Van Genecheten. São Paulo: Brinque-Book, 2012.

livro 2

 Cocô no trono / Benoit Charlat. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2006.

livro 3

Cadê meu penico? / Mij Kelly; ilustrações de Mary Mc Quillan. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2012.

 Quando o interesse pelo tema cocô é grande, vale incluir na biblioteca:

livro 4

Da pequena toupeira que queria saber quem tinha feito cocô na cabeça dela / Werner Holzwarth; ilustrações de Wolf Erlbrunch. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2009.

livro 5

O pombo fez cocô! / Elizabeth Baguley; ilustrações de Mark Chambers. São Paulo: Globo, 2012.

Embora os livros ajudem muito nesse processo, é fundamental que a criança não se sinta cobrada nessa aprendizagem. O controle dos esfíncteres é o primeiro controle efetivo da criança, o que pode tanto facilitar quanto dificultar o treino. Por isso, quem participa desse processo (família, babá, escola), precisa ter disponibilidade física e emocional para dar suporte ao ritmo de cada criança. Afinal, de antemão, nunca saberemos como ela responderá à retirada das fraldas.

Por Patrícia Leekninh Paione Grinfeld – Psicóloga

Autora no site: Ninguém Cresce Sozinho

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade