PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Infecção de ouvido entre as crianças está diminuindo
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Infecção de ouvido entre as crianças está diminuindo

Infecção de ouvido entre as crianças está diminuindo

02/08/2016
  538   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Dor de ouvido, otite ou infecção de ouvido, está se tornando coisa do passado na Pediatria. Quando me formei, há 35 anos, as doenças mais comuns das crianças brasileiras eram as exantemáticas, otites, diarreias, pneumonias, desnutrição. Bom ver o progresso que ocorreu na Pediatria neste breve período de tempo.

 

A amamentação, a diminuição do tabagismo e do uso de novas vacinas bacterianas e para vírus da gripe têm ajudado a reduzir a incidência de infecções de ouvido em bebês de 12 meses de idade ou menores nos últimos anos, de acordo com um novo estudo, ” otite média aguda e viral Infecções Respiratórias”, publicado na edição de abril 2016 da Pediatrics.

 

O estudo descobriu que quase metade dos 367 lactentes acompanhados durante o seu primeiro ano experimentou otite média aguda ou uma infecção do ouvido médio. A percentagem de crianças com infecções de ouvido em idades 3 meses, 6 meses e 12 meses, no entanto, diminuiu em relação com os dados de 1980 e 1990.

 

A otite média aguda continua a ser uma das infecções mais comuns da infância e é a principal causa de consultas médicas por crianças, bem como a principal causa para a prescrição de antibióticos nos Estados Unidos. Podemos dizer que também é muito comum no pronto atendimento do Hospital Infantil Sabará.

 

Fatores de risco para infecções de ouvido incluem resfriados frequentes, falta de aleitamento materno e a exposição ao fumo do tabaco, de acordo com o estudo realizado entre outubro de 2008 e março 2014 pela University of Texas Medical Branch. Os dados recolhidos mostraram que 46% das crianças tiveram uma infecção respiratória superior – ou o resfriado comum – antes de serem diagnosticadas com uma infecção no ouvido.

 

Ao longo das últimas décadas, as vacinas bacterianas e virais tornaram-se disponíveis para ajudar a eliminar germes que podem causar infecções respiratórias em crianças. É necessária mais investigação em complexas interações virais-bacterianas.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte

Pediatrics

Advertising Disclaimer »

Pediatrics

April 2016, VOLUME 137 / ISSUE 4

Acute Otitis Media and Other Complications of Viral Respiratory Infection

Tasnee Chonmaitree, Rocio Trujillo, Kristofer Jennings, Pedro Alvarez-Fernandez, Janak A. Patel, Michael J. Loeffelholz, Johanna Nokso-Koivisto, Reuben Matalon, Richard B. Pyles, Aaron L. Miller, David P. McCormicku

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade